Grupo rebelde do Iêmen diz ter atacado petrolífera saudita

Grupo Houthi do Iêmen, aliado ao governo do Irã, disse ter atacado instalação da petrolífera saudita Aramco em Jeddah

Por Alaa Swilam, da Reuters
23 de novembro de 2020 às 01:31 | Atualizado 23 de novembro de 2020 às 01:35
Instalação da Saudi Aramco, estatal de petróleo do governo saudita (12.out.2019)
Foto: Maxim Shemetov/File Photo/Reuters


 

O grupo Houthi do Iêmen (rebeldes aliados ao governo do Irã e majoritariamente xiitas) disse, nesta segunda-feira (23), que disparou um foguete em uma estação de distribuição operada pela empresa de petróleo Saudi Aramco - a petrolífera estadal da Arábia Saudita - na cidade de Jeddah, no Mar Vermelho, dentro do territírio saudita.

Não houve confirmação imediata por parte do governo saudita.

Leia também:
Arábia Saudita declara cessar-fogo com Iêmen por causa pandemia de coronavírus

Iêmen: "A parte mais difícil é quando perdemos uma criança"

Pelo Twitter, um porta-voz militar dos Houthis alertou as empresas estrangeiras que trabalham na Arábia Saudita a serem cautelosas, pois "as operações continuarão".

O Iêmen está em conflito desde 2014, quando os Houthis tomaram Sanaa, a capital, e depois grande parte do norte do país, que foi unificado em 1990 e se vê dividido entre grupos aliados da Arábia Saudita e do Irã.

O conflito aumentou em março de 2015, quando uma coalizão liderada pelos sauditas interveio para restaurar o governo do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi. (