Argentina começa a restringir entrada e saída do país por aeroportos

Medida passa a valer de amanhã até o dia 8 de janeiro

da Reuters
24 de dezembro de 2020 às 11:51 | Atualizado 26 de dezembro de 2020 às 09:19
Bandeira da Argentina
Foto: Pexels/Freerange

A Argentina estabeleceu novos requisitos para entrada e saída do país por via aérea, informou o Ministério do Interior em comunicado divulgado na quarta-feira (23), em uma tentativa de conter o coronavírus.

Estas medidas começaram a valer na sexta-feira (25) e têm validade até o dia 8 de janeiro, quando ocorrerá nova avaliação. Entre as exigências estão um teste negativo para o coronavírus e a realização de uma quarentena obrigatória de 7 dias, disse o ministério.

Leia também:
Aumento de salário de Covas pode ter impacto de R$ 500 milhões, diz economista
Primeiras doses da vacina da Pfizer chegam ao Chile

Apenas dois aeroportos do país foram autorizados para viagens internacionais, Ezeiza e San Fernando, ambos atendendo a região da capital, Buenos Aires. No Porto de Buenos Aires só será autorizada a entrada de argentinos e moradores.

De acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde, há 1.555.279 casos de coronavírus na Argentina, com 42.254 mortes pela doença e 1.379.726 pessoas que se recuperaram.

Destaques do CNN Brasil Business:
Retrospectiva: Dólar alto favoreceu BDRs; veja melhores fundos de ações em 2020
Financiamento imobiliário com recursos da poupança dispara 78% em novembro

O país aprovou de forma emergencial as vacinas da Pfizer e Sputnik V, sendo que 300 mil doses do segundo imunizante já estão em solo argentino. Espera-se que a vacinação comece ali nos próximos dias.