Como a polícia respondeu às manifestações do Black Lives Matter em Washington

Muitos fizeram comparações entre a resposta da polícia à invasão do Capitólio e o combate aos protestos do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam)

Nicole Chavez, da CNN
07 de janeiro de 2021 às 15:20 | Atualizado 07 de janeiro de 2021 às 17:15
Polícia em protestos do BLM em Washington
Polícia ocupou a escadaria do Lincoln Memorial durante protestos do Black Lives Matter
Foto: REUTERS

Enquanto centenas de apoiadores do presidente Donald Trump invadiam o Capitólio dos EUA, quebrando janelas e causando estragos, políticos e ativistas, entre outras pessoas, fizeram comparações entre a resposta da polícia na quarta-feira (6) e a aquela dos protestos Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) do ano passado.

O caso de George Floyd – um homem negro que morreu depois que um policial de Minneapolis pressionou o joelho sobre seu pescoço – em maio de 2020, gerou centenas de protestos em todo o país durante as semanas seguintes. Em muitas cidades, incluindo a capital dos EUA, a polícia enfrentou os manifestantes com gás lacrimogêneo, violência e prisões.

No entanto, muitas pessoas observaram que a reação aos protestos de quarta-feira foi diferente. A Rede Global Black Lives Matter, uma das organizações mais conhecidas que lutam pelo bem-estar dos negros, descreveu os distúrbios de quarta-feira como um “golpe”.

O grupo disse que o caso era “mais um exemplo da hipocrisia na resposta da força pública de nosso país aos protestos”.

Leia também:
Casa Branca tem pedidos de demissão no alto escalão após violência no Capitólio
Capitólio dos Estados Unidos já foi alvo de três ataques; conheça os detalhes
Invasão do Capitólio entra para a história dos EUA como afronta à democracia

“Quando os negros protestam por nossas vidas, muitas vezes somos recebidos por tropas da Guarda Nacional ou policiais equipados com rifles de assalto, escudos, gás lacrimogêneo e capacetes de batalha”, escreveu o grupo em um comunicado. “Não se engane, se os manifestantes fossem negros, nós teríamos recebido gás lacrimogêneo, sido espancados e talvez fuzilados”.

Veja o que aconteceu nos protestos do ano passado em comparação com os de quarta-feira. 

2 de junho de 2020

 

Membros da Guarda Nacional de DC, armados e vestindo uniformes de camuflagem, postaram-se nos degraus do Lincoln Memorial em junho passado, enquanto multidões de manifestantes realizavam um protesto pacífico após vários dias de manifestações.

Durante os eventos de quarta-feira, os manifestantes já haviam entrado no prédio antes que a Guarda Nacional de DC fosse ativada.

6 de janeiro de 2021

 

Centenas de manifestantes pró-Trump invadiram o Capitólio e tomaram as escadarias do prédio. Em algumas imagens, policiais podiam ser vistos usando spray de pimenta. O gás lacrimogêneo também foi lançado, mas não está claro se por manifestantes ou pela polícia, e as pessoas enxugaram as lágrimas dos olhos enquanto tossiam.

1 de junho 2020

 

Antes de Trump fazer seus comentários no Rose Garden, a policiais perto da Casa Branca lançaram gás lacrimogêneo e dispararam balas de borracha nos manifestantes em um esforço para dispersar a multidão para a planejada visita do presidente à Igreja Episcopal de St. John’s.

No início do dia, Trump encorajou os governadores da nação para atingir mais agressivamente os manifestantes em seus estados.

Depois de falar, Trump passou pelos manifestantes e foi até a igreja para posar para uma foto.

6 de janeiro de 2021

 

Manifestantes pró-Trump empurraram gradis de metal e invadiram o prédio do Capitólio dos Estados Unidos, andando por todo o complexo por várias horas.

Trump havia solicitado a Guarda Nacional para Washington junto com “outros serviços federais de proteção”, de acordo com a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany. Toda a Guarda Nacional de DC foi ativada pelo Departamento de Defesa, de acordo com o Pentágono.

Destaques do CNN Brasil Business:
Bolsa alcança marca histórica de 121 mil pontos durante pregão e dólar sobe
IPVA-SP 2021: vence 1ª parcela ou cota única com desconto para placa final 1
Análise: Jack Ma quase cresceu mais que a China, e isso o colocou em apuros

3 de junho de 2020

 

Em junho passado, manifestantes em Washington, DC, enfrentaram repetidamente ataques de gás lacrimogêneo. Muitos foram detidos. Um protesto levou a 88 prisões.

Em comparação, o chefe do Departamento de Polícia Metropolitana, Robert Contee, disse na noite de quarta-feira que a polícia fez 52 prisões – 26 delas dentro do Capitólio dos EUA.

6 de janeiro de 2021

 

Apoiadores de Trump inundaram os degraus do Capitólio, enquanto os líderes do Congresso evacuavam o complexo após o lockdown.

Um oficial federal da lei disse à CNN que não houve previsão de usar a Guarda Nacional de DC para proteger instalações federais, e o governo Trump decidiu no início desta semana que seria a tarefa da aplicação da lei civil.

Leah Asmelash e Rashard Rose da CNN contribuíram para este relatório.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).