Países da UE podem processar AstraZeneca se empresa não honrar entrega de vacina

Atraso no cronograma de entregas faz países do bloco europeu pressionarem farmacêutica com sede na Inglaterra

da CNN
26 de janeiro de 2021 às 09:57


Os países membros da União Europeia (UE) podem processar a AstraZeneca por quebra de contratos de fornecimento se a empresa não honrar o cronograma de entrega da vacina contra a Covid-19, disse o ministro das Relações Exteriores da Letônia, Edgars Rinkevics, nesta terça-feira (26).

"A possibilidade deve ser avaliada, e deve ser coordenada entre os países da UE", disse o ministro, por meio de seu porta-voz.

Cada estado membro da UE tem um contrato de fornecimento separado com a empresa.

A AstraZeneca, que desenvolveu o imunizante com a Universidade de Oxford, disse à UE na sexta-feira (22) que não poderia cumprir as metas de fornecimento acordadas até o final de março.

"Processos judiciais coordenados seriam uma maneira mais eficaz de garantir que a AstraZeneca cumpra seus compromissos do que ações legais unilaterais dos Estados membros", disse um alto funcionário de outro estado da UE com conhecimento das considerações.

A Itália disse no domingo (24) que entraria com uma ação judicial contra a Pfizer e a AstraZeneca por causa dos atrasos nas entregas das vacinas Covid-19.