Falta de carisma do presidente cubano contribui para protestos, diz professor

Milhares de cubanos foram às ruas no último domingo (11) para protestar por liberdade e melhores condições

Produzido por Fernanda Pinotti*, da CNN, em São Paulo
12 de julho de 2021 às 19:39

 

Em entrevista à CNN, o professor de Política Internacional da UERJ Paulo Velasco afirmou que a falta de carisma do presidente de Cuba, Miguel Diàz-Canel, no poder desde 2018, contribui para a nova onda de protestos. Milhares de cubanos foram às ruas no último domingo (11) para protestar por liberdade e melhores condições, em meio a uma crise econômica agravada pela pandemia da Covid-19.

"Pela primeira vez o país tem que lidar com uma cara nova, que não tem o carisma, a popularidade e o fundo histórico que os irmãos Castro tinham para comandar Cuba", disse Velasco. "De alguma maneira, isso acaba facilitando a perspectiva de pessoas indo para as ruas protestar contra um líder que não reconhecem com tanta legitimidade."

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, manifestou apoio aos cubanos nesta segunda-feira (12). Ele pediu ao líder de Cuba para "ouvir seu povo e servir suas necessidades".

Cenário em Cuba

O professor da UERJ também realçou a gravidade da situação no território cubano, que não se equipara a nenhuma outra crise vista anteriormente.

"Não é a primeira vez que vemos Cuba passar por um cenário de instabilidade econômica muito forte, mas certamente é o pior quadro em três décadas", explicou

(*supervisionada por Elis Franco)

O professor de Política Internacional da UERJ Paulo Velasco conversou com a CNN sobre os protestos em Cuba (12.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN