Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Agricultores franceses bloqueiam estradas em protesto contra baixos preços dos alimentos

    Ato provocou longos engarrafamentos nas rodovias que ligam Paris à Bélgica

    Protestos de agricultores na França bloqueiam estradas. REUTERS/Nacho Doce
    Protestos de agricultores na França bloqueiam estradas. REUTERS/Nacho Doce REUTERS

    Reuters

    Agricultores franceses bloquearam uma das principais rodovias que ligam Paris à cidade de Lille e à Bélgica na sexta-feira, causando longos engarrafamentos como parte dos protestos nacionais contra os baixos preços dos alimentos e o excesso de burocracia.

    Os sindicatos pediram os bloqueios de estradas em Paris e arredores para aumentar a pressão sobre o governo do primeiro-ministro Gabriel Attal, que os agricultores acusam de não fazer o suficiente para ajudá-los.

    “Iremos direto a Paris para destacar nossa raiva e nossas queixas”, disse o agricultor Matteo Legrand.

    A filial da região parisiense do sindicato dos agricultores FNSEA planeja montar 11 bloqueios de estradas nos principais eixos de transporte de passageiros ao redor de Paris, incluindo as rodovias A6, A10 e A13, de acordo com um documento de planejamento visto pela Reuters.

    O gabinete de Attal disse que ele faria um discurso abordando as preocupações dos agricultores por volta das 15h (horário local) em um vilarejo nas montanhas próximo à fronteira com a Espanha, a cerca de 800 km de Paris.

    Na tentativa de aliviar as tensões, os ministros da Fazenda e das Finanças discutiram com autoridades do setor de alimentos na sexta-feira preços justos para os produtos — “prioridade número um” para os agricultores, que dizem estar sofrendo com a iniciativa do governo de reduzir os preços ao consumidor.

    “A questão central é a receita dos agricultores”, disse o Ministro das Finanças, Bruno Le Maire, após a reunião, acrescentando que o governo “dobraria” a aplicação de uma lei que visa garantir preços justos para os agricultores.

    Le Maire passou meses pressionando gigantes do setor de alimentos, como o Carrefour e a Danone, para que baixassem seus preços após uma fase de alta inflação, o que provocou a ira dos agricultores.

    Mas na sexta-feira ele prometeu ser “impiedoso” com os gigantes do setor alimentício e com os supermercados para ajudar a garantir uma compensação financeira adequada para os produtores agrícolas.

    Muitos agricultores da França, o maior produtor agrícola da União Europeia, dizem que enfrentam uma pressão cada vez maior dos varejistas para reduzir seus preços e que isso ameaça sua subsistência.

    (Reportagem de Yves Herman e Gus Trompiz; texto de Tassilo Hummel)