Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alistamento militar da Rússia vai passar a incluir áreas ocupadas da Ucrânia

    Recrutamento começa no domingo (1º), exceto nas áreas do extremo norte, que devem fazer o alistamento a partir de 1º de novembro

    Militares das tropas pró-Rússia montam guarda em Svitlodarsk, região de Donetsk, Ucrânia
    Militares das tropas pró-Rússia montam guarda em Svitlodarsk, região de Donetsk, Ucrânia Alexander Ermochenko/Reuters/Arquivo

    Radina GigovaDarya Tarasovada CNN

    Regiões ocupadas da Ucrânia pela Rússia serão incluídas pela primeira vez na nova rodada de alistamento militar russo. O anúncio foi feito pelo Ministério da Defesa da Rússia nesta sexta-feira (29).

    O recrutamento de outono começará no dia 1º de outubro em todas as partes da Federação Russa, segundo o ministério, inclusive nas regiões anexadas da Ucrânia.

    O presidente do país, Valdimir Putin, anunciou a anexação de quatro áreas — Luhansk, Donetsk, Kherson e Zaporizhzhia — em setembro passado, após os referendos feitos nas regiões que foram universalmente rejeitadas como “farsas” pela Ucrânia e pelas nações ocidentais.

    A Rússia já havia anexado a Crimeia em 2014.

    Em algumas regiões do extremo norte da Rússia, o recrutamento começará em 1º de novembro devido às diferenças climáticas, disse o contra-almirante Vladimir Tsimlyansky, vice-chefe da Diretoria Principal de Organização e Mobilização do Estado-Maior General das Forças Armadas Russas, durante um briefing.

    “O recrutamento de outono ocorrerá a partir do domingo (1º) em todas as entidades constituintes da Federação Russa. A exceção são certas regiões do Extremo Norte e certas áreas equiparadas às regiões do Extremo Norte, onde os cidadãos que vivem nesses territórios são recrutados para o serviço militar de 1º de novembro a 31 de dezembro”, disse Tsimlyansky.

    A saída dos recrutas dos pontos de coleta está prevista para começar no dia 16 de outubro, disse ele. “O prazo do serviço militar obrigatório, como antes, será de 12 meses”, disse Tsimlyansky.

    “Os militares em serviço militar mediante recrutamento não serão enviados para os pontos de destacamento de unidades das Forças Armadas da Federação Russa nas novas regiões da Federação Russa: repúblicas populares de Donetsk e Luhansk, regiões de Kherson e Zaporizhzhia ou para participar lá na execução das tarefas de uma operação militar especial”, disse ele, usando o termo eufemístico da Rússia para a sua guerra na Ucrânia.

    O recrutamento para o serviço militar no que Moscou descreve como novas regiões da Rússia é regulamentado pela chamada lei constitucional de admissão na Federação Russa, segundo a agência de notícias estatal russa TASS.

    A lei determina que a rodada de recrutamento do outono de 2023 incluirá pela primeira vez os territórios recentemente anexados. Não houve recrutamento para o serviço militar no ano passado e na primavera de 2023 nessas regiões, segundo a TASS.

    Embora sejam realizados recrutamentos regulares, a Rússia não tem planos para novas mobilizações, disse Tsimlyansky. “Gostaria de salientar que o Estado-Maior General (das Forças Armadas da Rússia) não tem planos para uma maior mobilização”, disse ele.

    O recrutamento na Rússia acontece duas vezes por ano. O alistamento do outono passado começou um mês depois do normal devido a gargalos nos escritórios de recrutamento em meio a uma mobilização parcial, segundo a TASS.

    Veja também: Estados Unidos estão diretamente em guerra com a Rússia, diz ministro de Putin

    FOTOS – Imagens mostram a destruição da guerra na Ucrânia

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original