Apesar da Junta Militar dizer que atos diminuíram, Mianmar segue sob protestos

Pelo menos dois grandes protestos em cidades diferentes foram convocados nesta sexta-feira (9)

Protestos em Mianmar: Manifestantes contrários ao golpe militar entram em confronto com forças de segurança na cidade de Yangon
Protestos em Mianmar: Manifestantes contrários ao golpe militar entram em confronto com forças de segurança na cidade de Yangon Foto: Stringer/Reuters

Da Reuters

Ouvir notícia

Manifestantes anti-golpe continuam a se reunir para protestar contra a junta militar de Mianmar. Os atos mais recentes organizados por opositores da Junta Militar ocorrem nesta sexta-feira (9), apesar das alegações dos militares de que a campanha de protestos contra o governo estava diminuindo.

Vídeos filmados pelo jornal local Dawei Watch mostraram manifestantes na cidade de Dawei, no sul do país, marchando com bandeiras e entoando palavras de ordem. Imagens captadas na cidade vizinha Launglon mostraram pessoas marchando com bandeiras impressas com a saudação de três dedos,que se tornou um símbolo de resistência ao governo do exército.

Os ministérios do governo retomarão as operações em breve, disse um porta-voz da junta militar em uma entrevista coletiva na capital, Naypyitaw.

Mais de 600 pessoas foram mortas pelas forças de segurança que reprimiam os protestos contra o golpe de 1º de fevereiro, no qual os militares depuseram o governo eleito de Aung San Suu Kyi. A nação do sudeste asiático está paralisada por causa da campanha de protesto e dos ataques generalizados contra o regime militar.

Mais Recentes da CNN