Ataque aéreo dos EUA contra membro do Estado Islâmico-K foi aprovado pelo presidente Biden

Ataque aéreo não tripulado ocorreu na província de Nangarhar, no Afeganistão; EUA afirmam que não há registro de vítimas civis

Joe Biden
Joe Biden Getty Images

Jamie CrawfordOren Liebermannda CNN

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aprovou o ataque que teve como alvo o homem que é considerado o estrategista do Estado Islâmico-K, disse um oficial do governo norte-americano nesta sexta-feira (27).

De acordo com um comunicado do capitão Bill Urban, porta-voz do Comando Central, o ataque aéreo não tripulado ocorreu na província de Nangarhar, no Afeganistão.

“As forças militares dos Estados Unidos realizaram uma operação de contraterrorismo além do horizonte hoje contra um estrategista do Estado Islâmico-K. O ataque aéreo não-tripulado ocorreu na província de Nangahar, no Afeganistão. As indicações iniciais são de que matamos o alvo. Não sabemos de nenhuma vítima civil”, afirmou o comandante na declaração.

O ataque ocorreu um dia após Biden afirmar que seu país irá “caçar” e fazer com que os autores do atentado terrorista nos arredores do aeroporto de Cabul, que matou ao menos 170 pessoas e deixou cerca de 200 feridos nesta quinta-feira (26), “paguem pelo que fizeram”.

Alerta

Também nesta sexta-feira, a embaixada dos Estados Unidos em Cabul alertou novamente os cidadãos norte-americanos em vários portões do aeroporto para “partirem imediatamente”, citando ameaças à segurança.

O alerta aconselhou os cidadãos norte-americanos “a evitar viajar para o aeroporto e evitar os portões do aeroporto”.

Após o ataque em um dos portões do Aeroporto Internacional Hamid Karzai na quinta-feira, a equipe de segurança nacional do presidente Biden disse a ele nesta sexta-feira que “outro ataque terrorista em Cabul é provável, mas que estão tomando medidas de proteção de força máxima no aeroporto de Cabul”, de acordo com a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki.

Ataque

Duas explosões nos arredores do aeroporto de Cabul deixaram ao menos 60 mortos e cerca de 140 feridos nesta quinta-feira (26), de acordo com informações de funcionários do ministério da saúde do país dadas à CNN.

Vários guardas do Talibã também foram atingidos e estão entre os feridos, afirmou uma autoridade do grupo islâmico à agência Reuters. Pelo menos 12 militares dos Estados Unidos estão entre os mortos no ataque e 15 ficaram feridos, segundo informou o general Kenneth “Frank” McKenzie em um pronunciamento.

Um soldado norte-americano morto no ataque ao aeroporto de Cabul era membro do 1º Comando das Forças Especiais, anunciou o comando em um comunicado no Twitter na tarde desta sexta-feira.

“Estamos tristes em relatar a morte de um de nossos soldados como resultado dos ataques de ontem”, disse o comando.

“Nosso companheiro de equipe morreu não apenas servindo nossa nação, mas ajudando a dar aos outros uma vida de liberdade e oportunidades. Os sacrifícios feitos por nossos soldados e famílias nos últimos 20 anos não foram em vão, e nossa missão no Afeganistão ainda não acabou,” acrescentou o comando.

Mais Recentes da CNN