Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Autoridades encontram mais de 300 corpos em valas no Quênia

    Mortes podem estar ligadas à seita que prometia o paraíso em troca de jejum prolongado, já que algumas vítimas trazem sinais de desnutrição; dezenas de covas ainda estão por ser abertas 

    Mais de 300 corpos foram encontrados, mas dezenas de valas ainda não foram abertas
    Mais de 300 corpos foram encontrados, mas dezenas de valas ainda não foram abertas Yasuyoshi Chiba/AFP/Getty Images

    Da CNN

    As autoridades do Quênia encontraram mais de 300 corpos enterrados em valas comuns na floresta Shakahola, no leste do país. Agentes forenses acreditam que estas mortes estejam ligadas à Igreja Internacional das Boas Novas, uma seita religiosa que pregava jejuns rigorosos em troca do paraíso que que resultaram na morte de mais de 100 pessoas em março.

    A floresta está situada a cerca de duas horas de carro da cidade turística costeira de Malindi. Os investigadores dizem que a comunidade do culto foi dividida em oito assentamentos separados com nomes bíblicos como Galiléia e Belém.

    Funcionários do Ministério do Interior do Quênia dizem que dezenas de valas comuns permanecem intocadas, o que permite imaginar que o número de corpos encontrados no local será ainda maior.

    Os corpos já exumados de várias crianças mostraram sinais de fome e, em alguns casos, asfixia, disse um patologista. Os investigadores disseram ter concluído dezenas de necropsias, incluindo de crianças com idades entre 18 meses e 10 anos.

    Paul Mackenzie, líder da Igreja Internacional das Boas Novas, está sob custódia acusado de ordenar aos seguidores que passassem fome para que pudessem ir para o céu antes do fim do mundo, que ele disse que aconteceria em 15 de abril. Ele prestou depoimento à justiça no início de maio. Ele não comentou publicamente sobre as acusações contra ele. Dois advogados que atuam em seu nome se recusaram a comentar.

    Mackenzie enfrenta uma série de acusações relacionadas a supostos crimes anteriores, mas os promotores ainda não emitiram uma planilha de acusação em relação às várias valas encontradas.

    (Publicado por Fábio Mendes, com informações de David McKenzie da CNN)