Basílica de São Pedro é reaberta ao público para a celebração de missas

Desde o início de março, o local recebia um número reduzido de fiéis apenas para orações particulares

Ouvir notícia

O papa Francisco liberou nesta segunda-feira (18) a completa reabertura da Basílica de São Pedro, e igrejas católicas realizaram missas públicas pela primeira vez em dois meses, no mais recente alívio às restrições que buscavam frear o avanço do novo coronavírus na região.

Francisco celebrou uma missa privada em uma capela lateral, onde o papa João Paulo II foi enterrado, para lembrar o 100º aniversário de nascimento deste que foi último o papa polonês da Igreja Católica.

Novas determinações

Em seguida, a basílica – que passou por uma higienização na sexta-feira (15) para torná-la livre de Covid-19 o mais rápido possível – foi reaberta ao público para a celebração de missas com padres, sem a presença de Francisco.
 

 
Placas escritas em inglês e em italiano indicavam que quem entrasse deveria manter uma distância mínima de 1,5 metro das outras pessoas, além de usar máscara de proteção e higienizar as mãos. 

Igrejas em toda a Itália voltaram a celebrar missas sob novas diretrizes estritas determinadas por bispos e o governo local. Os padres podem celebrar a maior parte das missas sem máscara, mas precisam usá-la – além de luvas – no momento da distribuição das hóstias, que agora precisam ser dadas nas mãos e não diretamente na boca dos fiéis.

Assista e leia também:
Coronavírus provoca queda de receitas e esgota cofres do Vaticano
Em missa fora do Vaticano, Papa pede solidariedade global contra COVID-19

Nesse domingo (17), o papa Francisco pediu aos italianos que se atentem às novas normas “para proteger a saúde de cada um e a saúde da população”.

Apesar das determinações, de acordo com um repórter italiano que entrou na Basílica de São Pedro nesta segunda, ao menos um padre no altar não estava usando luvas ou máscara no momento da comunhão.

Tecnicamente, o local permaneceu aberto durante o lockdown determinado na Itália no início de março, mas apenas para orações particulares e não para celebrações de missas. Poucas pessoas conseguiam entrar, em razão do aumento na segurança para evitar aglomerações na praça em frente à basílica.

O Vaticano ainda não anunciou quando o papa voltará a celebrar missas do altar principal. Desde março, as orações de Francisco vêm sendo realizadas em uma capela quase vazia na residência particular dele e transmitidas ao vivo pela internet ou pela televisão.

A Santa Sé informou que assim que a Basílica e a Praça de São Pedro forem reabertas para a realização das tradicionais missas de domingo e dias santos, scanners térmicos serão usados para checar a temperatura de quem estiver no local.

(Com informações da Reuters)

Mais Recentes da CNN