Brasileiro conta situação no Haiti após terremoto: ‘apreensivo e preocupado’

Tremor de magnitude 7,2 atingiu o país na manhã deste sábado (14) e causou ao menos 304 mortes

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O brasileiro Werner Garbers, diretor do Centro Cultural Brasil-Haiti, que mora em Porto Príncipe, capital haitiana, falou à CNN sobre os estragos causados pelo terremoto que atingiu o país na manhã deste sábado (14). Segundo ele, a sensação no país é de apreensão e preocupação por causa do tamanho dos estragos provocados.

“A gente está muito apreensivo e preocupado por uma série de pessoas. O terremoto foi a aproximadamente quatro horas daqui, entre duas cidades bastante conhecidas: Jérémie e Les Cayes. A gente sabe que o desastre foi grande e que muita gente não está tendo possibilidade de contatar”, contou o brasileiro.

Um terremoto de magnitude 7,2 atingiu o Haiti na manhã deste sábado (14) e deixou ao menos 304 mortos, segundo a última atualização do governo local. 

Situação na capital do Haiti

O terremoto foi localizado a cerca de 12 quilômetros a nordeste de Saint-Louis-du-Sud e a 13 quilômetros de profundidade. A região oeste do país concentra áreas turísticas e cruzeiros que também passam por outras regiões do Caribe. 

De acordo com informações iniciais, Porto Príncipe sentiu os abalos, mas não foi severamente afetada — como ocorreu no terremoto de 2010. 

“Aqui em Porto Príncipe a gente sentiu, ouviu um certo barulho, muitas pessoas correram para fora de casa, algumas pra debaixo da cama, mas foi lá [na região do epicentro] o grande problema. Aqui a gente ainda não teve notícia de nenhuma vítima. A gente já tem o histórico do terremoto aqui em 2010, né, então muita gente rememora, vem uma certa tristeza, uma preocupação por tudo isso”, afirmou.

Werner Garbers, brasileiro que mora em Porto Príncipe, no Haiti (14.Ago.2021)
Werner Garbers, brasileiro que mora em Porto Príncipe, a capital do Haiti (14.Ago.2021)
Foto: Reprodução/CNN

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN