Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Casa Branca pede a Israel mais informações sobre o ataque aéreo à escola em Gaza

    Segundo John Kirby, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Israel tem o direito de ir atrás do Hamas, mas a formo como faz isso importa

    Ataque israelense a escola no campo de refugiados Nuseirat, centro de Gaza
    Ataque israelense a escola no campo de refugiados Nuseirat, centro de Gaza 6/6/2024 REUTERS/Doaa Rouqa

    Samantha Waldenbergda CNN

    A Casa Branca está pedindo a Israel mais informações sobre o ataque aéreo a uma escola administrada pelas Nações Unidas no centro de Gaza, que, segundo relatos, matou pelo menos 40 pessoas.

    O governo Biden não tem “verificação independente do que aconteceu exatamente”, mas está conversando com os israelenses para “tentar entender melhor”, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, à CNN.

    Ele acrescentou que Israel tem o “direito de ir atrás do Hamas”, mas que “a forma como eles fazem isso importa.”

    “Eles têm absolutamente o direito de ir atrás do Hamas e sabemos que o Hamas abriga instalações civis e escava túneis sob casas e coisas do tipo. Mas como eles fazem isso importa”, disse Kirby. “Obviamente, não queremos ver nenhuma vítima civil de forma alguma. Então, tudo isso é novo e estamos tentando obter o máximo de informações possível dos israelenses.”

    Uma análise da CNN descobriu que o ataque aéreo na escola da ONU foi realizado com uma arma fabricda nos EUA.

    O exército israelense defendeu o ataque. O porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Contra-Almirante Daniel Hagari, disse que a inteligência israelense acredita que os combatentes do Hamas que participaram do ataque de 7 de outubro estavam operando de dentro de três salas de aula. Anteriormente, outro porta-voz militar israelense, Tenente-coronel Peter Lerner, disse aos jornalistas que os militares não estavam “cientes de quaisquer vítimas civis.”

    A CNN não pode verificar independentemente nenhuma dessas alegações do exército israelense.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original