China apoiará Rússia em segurança, diz Xi a Putin em telefonema de aniversário

Completando 69 anos, líder chinês prometeu aprofundar a coordenação estratégica entre os dois países

Presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping
Presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping Sputnik/Ramil Sitdikov/Kremlin via Reuters - 13/11/2019

Simone McCarthyda CNN

Ouvir notícia

O líder chinês, Xi Jinping, reiterou seu apoio a Moscou em questões de “soberania e segurança” em uma ligação com o colega Vladimir Putin na quarta-feira (15), mantendo seu apoio à parceria dos países, apesar da reação global contra a invasão russa da Ucrânia.

Comemorando seu 69º aniversário, Xi também prometeu aprofundar a coordenação estratégica entre os dois países, informou o Ministério das Relações Exteriores da China.

Segundo o Kremlin, os dois líderes enfatizaram que as relações entre os países estavam “no ponto mais alto de todos os tempos” e reafirmaram seu compromisso de “aprofundar consistentemente a parceria abrangente”.

Acredita-se que a ligação seja a segunda vez que os dois líderes falam desde que a Rússia invadiu a Ucrânia. Eles também conversaram poucos dias depois de Moscou iniciar o que insiste em chamar de “operação militar especial”.

A China também se abstém de se referir às ações da Rússia como uma invasão e segue uma linha tênue sobre o assunto. O país pede paz e defendendo a ordem global, enquanto se recusa a denunciar as ações russas. Também usou seu aparato de mídia estatal para imitar o Kremlin e culpar os Estados Unidos e a Otan pela crise.

Durante a ligação de quarta-feira, Xi enfatizou que a China sempre “avaliou a situação de forma independente” do conflito e pediu que “todas as partes” pressionassem por uma “solução adequada da crise na Ucrânia” – ecoando a linguagem que ele usou em uma ligação de março com o presidente dos EUA, Joe. Biden.

A China está “disposta a continuar a desempenhar seu papel” na promoção de uma “solução adequada” para a Ucrânia, disse Xi.

O Kremlin levou essa posição um passo adiante, dizendo: “O presidente da China observou a legitimidade das ações da Rússia para proteger os interesses nacionais fundamentais diante dos desafios à sua segurança criados por forças externas”.

Laços comerciais

A ligação de quarta-feira também foi uma chance para os dois líderes discutirem um relacionamento comercial crescente. No início deste ano, semanas antes da invasão russa, em uma reunião presencial, os dois líderes disseram que seus países tinham uma parceria “sem limites” e se comprometeram a impulsionar o comércio.

“Desde o início deste ano, as relações bilaterais mantiveram um sólido impulso de desenvolvimento diante da turbulência e das transformações globais”, disse Xi na recente conversa com Putin.

“O lado chinês está pronto para trabalhar com o lado russo para impulsionar o desenvolvimento estável e de longo prazo da cooperação bilateral”, disse Xi, apontando para o “progresso constante” de seus laços comerciais e a abertura na semana passada da primeira ponte transfronteiriça sobre o Rio Amur.

Trabalhadores colocam trilhos no canteiro de obras da ponte ferroviária transfronteiriça China-Rússia / Foto de Yuan Yong/VCG via Getty Images

Os dois concordaram em expandir a cooperação em energia, finanças, manufatura e outras áreas, “levando em conta a situação econômica global que se tornou mais complicada devido à política ilegítima de sanções adotada pelo Ocidente”, disse o Kremlin.

Ambos os países também se comprometeram a trabalhar juntos para fortalecer a comunicação e a coordenação em órgãos internacionais como as Nações Unidas – onde os dois costumam votar em conjunto.

“A China também está disposta a trabalhar com a Rússia para promover a solidariedade e a cooperação entre os países de mercados emergentes e impulsionar o desenvolvimento da ordem internacional e da governança global em direção a uma direção mais justa e razoável”, disse Xi, em um comentário que atingiu no objetivo comum dos países de lutar contra o que eles veem como a hegemonia global dos Estados Unidos.

Saudações de aniversário

A ligação não foi a primeira vez que Xi e Putin – dois homens unidos pela desconfiança mútua do Ocidente – tiveram compromissos no aniversário um do outro.

Em 2013, Xi presenteou Putin com um bolo de aniversário e os dois beberam vodca juntos para marcar o 61º aniversário do líder russo durante uma conferência na Indonésia. O governante chinês comemorou seu 66º aniversário durante uma cúpula de 2019 no Tajiquistão com Putin, que o surpreendeu com sorvete, bolo e champanhe.

O relacionamento pessoal entre os dois, no qual Xi descreve Putin como seu “melhor amigo do peito”, também deve reforçar a dinâmica de seu relacionamento cada vez mais forte em nível internacional.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN