Cidade chinesa de 1,2 milhão de habitantes decreta lockdown após três casos de Covid

País registrou semana com maior número de casos desde março de 2020

Política Covid zero da China tem sido criticada internamente
Política Covid zero da China tem sido criticada internamente AFP via Getty Images

Da CNN

Pequim, China

Ouvir notícia

Uma cidade no centro da China decretou lockdown para conter a disseminação do Covid-19, de acordo com as autoridades locais.

O governo municipal de Yuzhou, na província de Henan, disse que todos os 1,2 milhão de residentes ficarão confinados em suas casas depois que apenas dois casos assintomáticos foram relatados no domingo (2). Uma terceira infecção local assintomática foi identificada nesta segunda-feira (3), acrescentou o governo.

Excluindo serviços essenciais, como supermercados, todas as instalações públicas, incluindo escolas, transporte público e shoppings, suspenderam as operações.

Aqueles que trabalham em indústrias essenciais, como produção de medicamentos e usinas de energia, devem apresentar um teste negativo de Covid-19, disse o governo.

A China relatou 108 novos casos locais em três províncias na segunda, incluindo 95 no noroeste da província de Shaanxi, oito no sudeste de Zhejiang e cinco em Henan, de acordo com a Comissão Nacional de Saúde (NHC).

O lockdown de Yuzhou reflete as rígidas restrições impostas aos residentes de Xi’an. Desde dezembro, a cidade luta contra o maior surto de coronavírus comunitário da China desde Wuhan, epicentro original da pandemia.

Até o momento, mais de 1.700 casos foram relatados no local. Embora o número seja pequeno em comparação com os de muitos outros países, o surto empurrou o número de casos da China na semana final de 2021 para o nível mais alto desde março de 2020.

Os 13 milhões de residentes de Xi’an estão confinados em suas casas desde 23 de dezembro. Muitos estão desesperados porque estão sem suprimentos essenciais, incluindo mantimentos, e carecem de atenção médica.

As autoridades de Xi’an lançaram uma quinta rodada de testes em massa nesta terça-feira (3), prometendo eliminar o surto.

Mas as frustrações dos residentes ressaltam o desafio crescente enfrentado pela política de Covid zero da China, que se baseia em um manual de testes em massa, quarentenas extensas e lockdowns instantâneos para impedir qualquer ressurgimento do vírus.

Embora as medidas rigorosas tenham protegido em grande parte a maioria do país dos piores aspectos da pandemia, à medida que os surtos locais continuam a aumentar, o clamor em Xi’an levanta a questão de por quanto tempo zero-Covid pode ser sustentado antes do apoio público começa a diminuir, com milhões de residentes presos em um ciclo aparentemente interminável de bloqueios.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN