Com impeachment, democratas tentam evitar nova candidatura de Trump em 2024

Mesmo após a troca de poder, novo senado de maioria democrata tentará seguir com o pedido de impeachment do Presidente Donald Trump

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

A especialista em relações internacionais, Fernanda Magnotta, conversou com a CNN neste sábado (9), sobre as elevadas tensões nos Estados Unidos após apoiadores do Donald Trump terem invadido o congresso norte-americano na última quarta-feira (6). Existe uma chance, caso o processo de impeachment avance, de os democratas conseguirem a inelegibilidade do republicano nas eleições de 2024.

Leia e assista também:

Apple ameaça retirar Parler, rede social de apoiadores de Trump, da App Store

Espera-se que o Brasil entenda nova conjuntura com Biden, diz analista de risco

Apesar de novo tom, Trump não aceitou a transição democrática, avalia analista

Há menos de duas semanas para a transição de poder, quando Joe Biden tomará posse como presidente dos Estados Unidos, continua uma discussão para que seja feito o impeachment de Trump. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, pretende avançar com o processo na próxima segunda-feira (11). Para Magnotta, do ponto de vista prático, as chances de que o processo seja concluído são remotas. “Isso porque o processo de impeachment inclui uma série de ritos, têm uma série de elementos processsualísticos que fazem dele um processo relativamente moroso e politicamente custoso”, diz.

No entanto, se este processo passar pela Câmara, onde os democratas têm maioria, ele gera, do ponto de vista simbólico, uma condenação às ações do presidente Donald Trump na reta final. Magnotta afirma, ainda, que há chances do Donald Trump se tornar inelegível nas eleições presidenciais de 2024.

“Alguns estão dizendo que vai ser estabelecido um debate jurídico nos Estados Unidos para tentar, caso o impeachment avance, fazer com que mesmo depois de deixar o poder, ele possa ser concluído no senado. Isso porque junto com Joe Biden assume um conjunto de novos senadores. Neste novo Senado, os democratas vão ter uma maioria estreita, mas uma maioria, e a intenção seria conseguir levar este processo até o fim para tornar o presidente Trump inelegível”.

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Foto: REUTERS

Neste momento, os objetivos dos democratas são: condenar as ações de Trump constitucionalmente e conseguir garantir a inelegibilidade dele para 2024. Sobre a atuação de Trump para inflamar a polarização, a especialista fez uma análise de como o democrata consegue agir de modo calculista, para não ser pego pela parte jurídica. Ainda assim, seus perfis em redes sociais, como o Twitter, foram bloqueados.

“Ao mesmo tempo que ele energizou estes grupos e adotou um discurso que, de certa maneira, incentivava estes comportamentos, ele sempre mede as palavras, calcula muito bem o que vai ser dito para não cair em um limbo jurídico onde ele pode ser, de fato, acionado. O presidente Donald Trump mede cada um dos seus atos e, com isso, ele vai sobrevivendo politicamente, apesar de estar sempre em uma linha tênue, esticando a corda até um limite do ponto de vista moral questionável”, analisa Magnotta.

(Publicado por Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN