Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com ventos de 180 km/h, furacão Lee pode se intensificar e afetar praias dos EUA

    Trajetória da tempestade que está sobre o Atlântico vai depender da direção de correntes de ventos da região nos próximos dias

    Imagem de satélite do furacão Lee fornecida pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA)
    Imagem de satélite do furacão Lee fornecida pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) NOAA

    Taylor WardMary Gilbertda CNN

    O furacão Lee está flutuando sobre o Atlântico, e a poderosa tempestade pode levar correntes potencialmente fatais e condições perigosas para as praias de toda a costa Leste dos Estados Unidos nos próximos dias.

    “Ondas perigosas e correntes de retorno devem começar a aparecer ao longo de grande parte da costa leste dos EUA ainda hoje, e devem piorar ao longo desta semana”, disse o Centro Nacional de Furacões em uma atualização neste domingo (10).

    A previsão é que o furacão continue se movendo ao norte de Porto Rico, das Ilhas Virgens e das Ilhas Leeward, mas pode ter impacto tanto nessas regiões quanto em outras ilhas do Caribe.

    Ainda é muito cedo para determinar o seu percurso ao longo da semana e a intensidade que seus impactos poderão ter para os estados do nordeste dos Estados Unidos, Bermudas e do Canadá Atlântico.

    A costa Leste está se preparando para o mesmo tipo de grandes ondas e correntes de retorno que o Caribe enfrenta agora.

    Agora uma tempestade de categoria 2 e com ventos máximos de 180 quilômetros por hora, o Lee deve se fortalecer nos próximos dias, disse o centro norte-americano de furacões neste domingo.

    O furacão estava centrado a cerca de 435 quilômetros das Ilhas Leeward na manhã do domingo, se deslocando a uma velocidade de aproximadamente 13 quilômetros por hora.

    Na quinta-feira (7), ele era uma tempestade de categoria 1, e chegou com velocidade excepcional ao status de categoria 5 conforme e se movia para oeste pelo Atlântico. A velocidade de seus ventos mais que dobrou em apenas um dia, para 265 quilômetros por hora.

    As mudanças de direção do vento e um ciclo de reposição da parede do olho do furacão — um processo que ocorre com a maioria dos grandes furacões de longa duração — levaram desde então ao enfraquecimento da tempestade, de acordo com os meteorologistas.

    Cenários diferentes para a rota do Lee

    As tendências dos modelos de computador para o Lee mostram o furacão virando para o norte no início desta semana.

    Mas exatamente quando essa mudança ocorrerá e até onde a tempestade irá se deslocar a oeste terão papel fundamental para definir a proximidade que ela chegará a ter dos Estados Unidos.

    Uma área de alta pressão sobre o Atlântico, conhecida como Bermuda High, terá uma grande influência em sua velocidade.

    À medida que essa área de pressão enfraquece esta semana, o furacão pode começar se mover para o norte. Ali, a posição das fortes correntes de vento, que podem mudar a direção da trajetória de um furacão, influenciará o destino do Lee.

    Rumo aos EUA ou às Bermudas

    Se a alta pressão se enfraquecer significantemente, a tempestade pode fazer uma rápida curva para o norte nos próximos dias.

    Se a corrente de ventos se estabelecer ao longo da costa Leste, ela funcionará como uma barreira que impede Lee de se aproximar da costa.

    Este cenário manteria o furacão mais longe da costa norte-americana, mas poderia aproximar a tempestade das Bermudas.

    Caso as correntes de vento avancem pelo continente, partes da costa Leste, principalmente ao norte das Carolinas, ficariam bem mais vulneráveis a uma aproximação do Lee.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original