Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Contraofensiva da Ucrânia “não está atendendo às expectativas” em seu início, dizem militares dos EUA à CNN

    De acordo com as avaliações ocidentais, as linhas de defesa têm se mostrado bem fortificadas

    Soldado ucraniano manuseia armamento durante a guerra
    Soldado ucraniano manuseia armamento durante a guerra Wojciech Grzedzinski/Anadolu Agency via Getty Images

    Jim Sciuttoda CNN

    Em suas fases iniciais, a contraofensiva da Ucrânia está tendo menos sucesso e as forças russas estão mostrando mais competência do que as avaliações ocidentais esperavam, disseram dois oficiais ocidentais e um alto oficial militar dos EUA à CNN.

    A contraofensiva “não está atendendo às expectativas em nenhuma frente”, disse um dos oficiais.

    De acordo com as avaliações ocidentais, as linhas de defesa russas têm se mostrado bem fortificadas, tornando difícil para as forças ucranianas rompê-las.

    Além disso, as forças russas tiveram sucesso em bloquear a blindagem ucraniana com ataques de mísseis e minas e têm implantado o poder aéreo de forma mais eficaz.

    As forças ucranianas estão se mostrando “vulneráveis” a campos minados e as forças russas “competentes” em sua defesa, disse uma das autoridades ocidentais.

    As fontes alertaram que a contraofensiva ainda está em seus estágios iniciais – e que os EUA e seus aliados “permanecem otimistas” que as forças ucranianas serão capazes de obter ganhos territoriais ao longo do tempo.

    É provável que os EUA e seus aliados esperem pelo menos até julho para uma avaliação mais completa do progresso da contraofensiva lançada gradualmente nas últimas semanas. A ação é vista como crucial para determinar quem vencerá a guerra iniciada no ano passado.

    Além disso, esses oficiais observam que as próprias forças ucranianas estão se adaptando às táticas e defesas russas, incluindo a realização de mais operações desmontadas. Nos últimos dias, as forças ucranianas também tiveram mais sucesso em alvejar e abater aeronaves russas.

    No final das contas, a contraofensiva está se mostrando um “impulso difícil” para a Ucrânia e a Rússia, disse uma das autoridades ocidentais, com ambos os lados incorrendo em pesadas perdas.

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, admitiu na quarta-feira (21) que o progresso foi “mais lento do que o desejado”.

    “Definitivamente, gostaríamos de dar passos maiores”, reconheceu Zelensky em entrevista à BBC. “Mas, no entanto, aqueles que lutam vencerão e aqueles que batem, a porta será aberta.”

    Bem antes da contraofensiva, as autoridades ocidentais alertaram que as forças que defendem o território sempre mantêm vantagens significativas, especialmente considerando as semanas que as forças russas tiveram para cavar e fortalecer suas linhas defensivas.

    Vários oficiais disseram à CNN que o clima adverso estava sendo um problema para as forças ucranianas.

    “O clima tem causado estragos no cronograma ofensivo, pois os veículos lutam com a trafegabilidade. As baixas ucranianas são pesadas, embora não tão ruins quanto as russas estão tentando retratar”, disse uma das autoridades.

    Depois de uma reunião do Grupo de Contato de Defesa em Bruxelas na semana passada, o principal general dos EUA disse que a Ucrânia está fazendo “progresso constante”, mas alertou que eles devem esperar o longo prazo.

    “Esta é uma luta muito difícil, é uma luta muito violenta e provavelmente levará um tempo considerável e terá um custo alto”, disse o chefe do Estado-Maior Conjunto, general Mark Milley.

    Referindo-se à Ucrânia perdendo veículos blindados nos primeiros dias da contraofensiva, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse: “os ucranianos têm a capacidade de recuperar equipamentos danificados, consertá-los sempre que possível, colocar esses equipamentos de volta na luta”.

    “Continuarão a haver danos de batalha”, mas as forças ucranianas “ainda têm muita capacidade de combate, poder de combate”, acrescentou Austin.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original