Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Coreia do Norte dispara mísseis balísticos durante visita de Blinken a Seul

    Projéteis caíram no mar; autoridades internacionais condenaram lançamento

    Coreia do Norte testa mísseis
    Coreia do Norte testa mísseis 28/1/2024 KCNA via REUTERS

    Jack KimHyonhee Shinda Reuters

    A Coreia do Norte disparou mísseis balísticos de curto alcance no mar nesta segunda-feira (18), a primeira ação do tipo em dois meses, no momento em que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, visita Seul, capital da Coreia do Sul.

    Blinken foi ao país asiático para uma conferência organizada pelo presidente Yoon Suk Yeol sobre o avanço da democracia.

    As Forças Armadas da Coreia do Sul disseram que vários mísseis de curto alcance voaram cerca de 300 km depois de serem disparados entre 7h44 e 8h22, no horário local, de Pyongyang, a capital norte-coreana, aterrissando na costa leste.

    O país condenou os lançamentos como uma “clara provocação” e disse que estava compartilhando informações sobre eles com os Estados Unidos e o Japão.

    O Departamento de Estado dos EUA também condenou a ação, alertando que violaram várias resoluções do Conselho de Segurança da ONU, além de representarem uma ameaça à região.

    O Ministério da Defesa do Japão afirmou que três mísseis foram lançados e percorreram cerca de 350 km, com uma altitude máxima de 50 km.

    O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, criticou os lançamentos depois que a guarda costeira de seu país também relatou o disparo do que, segundo ela, parecia ser um míssil balístico.

    “A série de ações da Coreia do Norte ameaça a paz e a segurança de nossa região e da comunidade internacional, e é absolutamente inaceitável”, avaliou Kishida, classificando o lançamento como uma violação das resoluções da ONU.

    O ministro da defesa da Coreia do Sul, Shin Won-sik, ressaltou que o Norte vem testando um novo tipo de mísseis de curto alcance nas últimas semanas, e Seul e Washington estão monitorando se essas armas seriam enviadas para a Rússia.

    “Não está claro se os mísseis são para reforço da linha de frente ou para exportação para a Rússia”, destacou ele em uma coletiva de imprensa.

    “Mas há uma possibilidade significativa de que eles estivessem fazendo verificações finais de desempenho antes de exportá-los para a Rússia”, adicionou.

    A demonstração de força de Pyongyang ocorre logo após as Forças Armadas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos terem concluído 10 dias de exercícios militares conjuntos anuais em larga escala na última quinta-feira (14).

    Blinken está entre as autoridades seniores de todo o mundo que participam da conferência Cúpula para a Democracia, que começa nesta segunda-feira (18). Ele também se reunirá com o homólogo sul-coreano, o ministro das Relações Exteriores Cho Tae-yul.