Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Coreia do Norte diz ter testado novo míssil balístico intercontinental

    Lançamento causou confusão e pânico momentâneo no Japão; mídia estatal afirma que Kim Jong Un orientou o teste

    Imagem de arquivo: lançamento de míssil em local não revelado na Coreia do Norte
    Imagem de arquivo: lançamento de míssil em local não revelado na Coreia do Norte KCNA via REUTERS

    Gawon Baeda CNN

    A Coreia do Norte disse que lançou um novo míssil balístico intercontinental (ICBM) Hwasong-18 movido a combustível sólido nesta quinta-feira (13), de acordo com a mídia estatal KCNA.

    O líder norte-coreano Kim Jong Un orientou o “primeiro lançamento de teste do novo ICBM”, e o lançamento não teve “impacto negativo” para a segurança dos países vizinhos, segundo a KCNA. O míssil também teria feito uma separação de estágio.

    Os ICBMs de combustível sólido são o padrão mundial de última geração e podem ser movidos com mais facilidade e lançados mais rapidamente do que um foguete de combustível líquido.

    O principal míssil balístico intercontinental dos Estados Unidos, o Minuteman III, é alimentado por três motores de foguete de combustível sólido.

    O Hwasong-18 “defenderá a Coreia do Norte, suprimirá invasões e protegerá a segurança da nação”, destacou a KCNA, acrescentando que Kim expressou “grande satisfação” com a realização teste.

    Jeffrey Lewis, analista do James Martin Center for Nonproliferation Studies, escreveu no Twitter que “não é nenhuma surpresa” um ICBM de combustível sólido testado pela Coreia do Norte, explicando que “é apenas mais fácil usar mísseis de combustível sólido”.

    “A Coreia do Norte sempre seguia o mesmo caminho técnico dos EUA, União Soviética, França, China, Israel e Índia”, acrescentou.

    “Dado que a Coreia do Norte vem testando motores de foguete sólidos de grande diâmetro há vários anos, está claro (pelo menos para mim) que desde 2020 um teste como esse poderia ocorrer a qualquer momento”, avaliou.

    O lançamento desta quinta-feira provocou pânico momentâneo na ilha de Hokkaido, no norte do Japão, depois que o sistema de emergência do governo alertou os moradores para se protegerem.

    Logo depois, o medo se transformou em raiva e confusão quando a ordem de evacuação foi suspensa em meio a relatos de que havia sido enviada por engano, com autoridades locais afirmando que não havia possibilidade de o míssil atingir a ilha e Tóquio, posteriormente confirmando que o artefato havia caído fora do território japonês, nas águas da costa leste da península coreana.

    Os militares sul-coreanos disseram na época que acreditavam que Pyongyang estava testando um novo míssil balístico que havia exibido em um desfile militar, de acordo com um oficial militar.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original