Covid-19: EUA registram mais de 4 mil mortes em um dia pela 1ª vez

País somou 4.085 vítimas do novo coronavírus nesta quinta-feira (7), segundo dados da Universidade Johns Hopkins – um novo recorde da pandemia

Paramédicos levam paciente ao centro de emergência durante surto de Covid-19 no Brooklyn, em Nova York.
Paramédicos levam paciente ao centro de emergência durante surto de Covid-19 no Brooklyn, em Nova York. Foto: REUTERS / Brendan Mcdermid

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Os Estados Unidos registraram um novo recorde de mortes diárias causadas pelo novo coronavírus na quinta-feira (7): 4.085, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. No mesmo período, o país registrou também 274.703 casos da doença.

Apenas nesta semana, o país já estabeleceu 3 novos recordes de mortes por Covid-19. Na terça-feira (5), foram 3.767 vítimas e na quarta-feira (6) 3.854.

Em relação aos casos diários, também há uma tendência de crescimento: foram 231.679 na terça-feira e 249.735 na quarta-feira. O recorde, no entanto, foi registrado no sábado (2), com 301.858 infecções confirmadas da doença.

Até o momento, segundo a universidade, os EUA já somaram desde o início da pandemia 21,5 milhões de casos do novo coronavírus e mais de 365 mil mortes.

Assista e leia também:
EUA podem ter deixado de identificar mutações da Covid-19 por falta de teste
Covid-19 matou uma pessoa a cada 33 segundos nos EUA na semana do Ano-Novo
Brasil ultrapassa a marca de 200 mil mortos pela Covid-19

O país tem batido recordes seguidos no total de óbitos e internações e se prepara para um colapso total do sistema de saúde.

À medida que os números de infectados aumentam, os governadores estão tomando novas medidas para que as vacinas cheguem mais rapidamente aos interessados em se vacinar, incluindo a mobilização de membros da Guarda Nacional e o treinamento de mais voluntários para administrar os imunizantes.

A Operação Warp Speed do governo federal disse que distribuiu mais de 3 milhões de vacinas na terça-feira – elevando o total de vacinas distribuídas nos EUA para mais de 19 milhões. 

(Com informações de Alta Spells, da CNN)

Mais Recentes da CNN