Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Defesa de Israel diz que Hamas violou acordo de devolver 15 mulheres e 2 crianças

    Quando questionado sobre se o bombardeio israelense de Gaza poderia impactar os reféns restantes, ministro disse que a ação tomada pelas FDI é necessária

    Yoav Gallant, ministro da Defesa de Israel
    Yoav Gallant, ministro da Defesa de Israel 9/3/2023 REUTERS/Amir Cohen

    Mitchell McCluskeyda CNN

    O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, afirmou que o Hamas violou acordo de trégua com Israel. O pronunciamento foi feito em entrevista coletiva neste sábado (2).

    “O Hamas violou explicitamente o acordo que alcançámos com os EUA, o Egito e o Qatar”, disse Gallant.

    A trégua entre Israel e o Hamas ruiu depois que o Hamas prometeu devolver as 15 mulheres e duas crianças restantes, mas não cumpriu, disse Gallant.

    Gallant também abordou a alegação do Hamas de que duas crianças pequenas – Ariel, de 4 anos, e Kfir Bibas, de 10 meses – foram mortas em um ataque aéreo israelense. Afirmaram que elas tinham sido fotografadas vivas antes.

    “O Hamas prometeu trazer mulheres e crianças; restaram 17. Precisamos de todos os 17, dois filhos da família Bibas e 15 mulheres”, disse Gallant. “Esta é a obrigação deles porque concordamos com isso”, disse ele.

     

     

    A CNN informou anteriormente que as negociações fracassaram no sábado, depois que Israel insistiu na libertação de um grupo de mulheres e o Hamas recusou, de acordo com uma fonte familiarizada com as negociações.

    Enquanto as negociações sobre as mulheres se encontravam em impasse, o Hamas pressionou para iniciar negociações sobre a libertação dos homens, segundo a fonte. Israel rejeitou essa ideia, insistindo que era imperativo que todas as mulheres fossem libertadas primeiro.

    Autoridades israelenses e norte-americanas acreditam que o Hamas continua mantendo como reféns várias mulheres com idades aproximadas entre 20 e 30 anos – muitas delas sequestradas no festival de música Nova – informou a CNN anteriormente.

    O Hamas tem insistido que algumas das mulheres restantes que mantinham como reféns eram consideradas parte das Forças de Defesa de Israel, o que Israel nega.

    As operações das FDI em Gaza não vão parar, diz Gallant.

    “A cidade de Gaza representa mais da metade do poder do Hamas”, disse Gallant. “Ainda temos trabalho a fazer lá. Continuaremos a agir em toda a Faixa de Gaza”.

    Quando questionado sobre se o bombardeio israelense de Gaza poderia impactar os reféns restantes, Gallant disse que a ação tomada pelas FDI é necessária.

    “Levamos tudo em consideração”, disse ele.

    Veja também: Ao menos 109 palestinos morreram após fim de trégua na guerra entre Israel e Hamas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original