Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Deixamos claro que apoio da China à Rússia teria consequências, diz porta-voz dos EUA

    Delegação americana se reuniu com diplomacia chinesa e tratou de "discussão substancial sobre a guerra da Rússia contra a Ucrânia"

    Porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price
    Porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price Foto: Andrew Harnik/Pool via REUTERS

    Vinícius Tadeuda CNN*

    Ouvir notícia

    O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Ned Price, afirmou nesta segunda-feira (14) que o país tem deixado claro que um eventual apoio da China à Rússia pela invasão da Ucrânia traria consequências para o governo de Xi Jinping.

    De acordo com Price, “há muito que a China tem de explicar”, e o país asiático tem estreitado seus laços com o governo de Vladimir Putin. O porta-voz americano ainda reforçou que os Estados Unidos gostariam “de ver todos os países deixando suas posições claras” sobre a guerra na Ucrânia.

    “Fica a critério de todos os países do mundo falarem de forma clara para não existirem ambiguidades nos posicionamentos. Ouvimos declarações da China que tiveram mensagens ambivalentes”, afirmou Price.

    O porta-voz do Departamento de Estado americano ainda ressaltou que membros do governo dos EUA se reuniram com autoridades chinesas “para garantir a clareza das nossas preocupações e implicações, já que estamos observando de perto até que ponto a China apoiaria de forma financeira, econômica ou de qualquer outra forma a Rússia nessa guerra por escolha de Putin”.

    Price fez referência à reunião entre o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, e o principal diplomata da China, Yang Jiechi, que aconteceu em Roma nesta segunda-feira (14).

    Em comunicado, a Casa Branca afirmou que a conversa tratou de questões nas relações EUA-China “com uma discussão substancial sobre a guerra da Rússia contra a Ucrânia”.

    De acordo com o porta-voz do Departamento de Estado, a delegação americana “levantou direta e claramente” preocupações sobre o apoio da China à Rússia durante a reunião.

    Price ainda afirmou que “apoiar a Rússia após a invasão da Ucrânia por Moscou teria implicações para os relacionamentos da China em todo o mundo, inclusive com aliados e parceiros dos EUA na Europa e na região do Indo-Pacífico”.

    *Com informações da Reuters

    Mais Recentes da CNN