Desde quarto invadido em 82, rainha Elizabeth coleciona furos em segurança

Uma das violações de segurança mais graves ocorreu no início da década de 1980, quando um homem pulou muro do Palácio de Buckingham e entrou no quarto da rainha enquanto ela dormia

Rainha Elizabeth II passou o Natal no Castelo de Windsor, que sofreu tentativa de invasão neste sábado (25)
Rainha Elizabeth II passou o Natal no Castelo de Windsor, que sofreu tentativa de invasão neste sábado (25) Jacob King - 14.out.2021/Pool via REUTERS

Marcio Tumen Pinheiroda CNN*

São Paulo

Ouvir notícia

Um homem armado foi preso neste sábado (25) após invadir terreno onde fica o Castelo de Windsor, onde a rainha Elizabeth II passa o Natal. O episódio de hoje é mais um de uma série de violações de segurança em residências reais britânicas ao longo das últimas décadas.

Uma das mais graves ocorreu em 9 de julho de 1982, quando o pintor e decorador Michael Fagan, então com 31 anos de idade e desempregado, pulou o muro do Palácio de Buckingham e entrou no quarto da rainha. Ela estava dormindo e, quando abriu os olhos, se deparou com o invasor olhando para ela, sentado em uma poltrona.

Fagan conversou com a monarca por 10 minutos até pedir a ela um cigarro. Demorou, mas a rainha acabou conseguindo acionar um alarme.

Detalhe: essa era a segunda invasão de Fagan ao palácio. Na primeira, ele invadiu uma sala real, tomou meia garrafa de vinho e saiu sem ser visto pela segurança ou funcionário.

Após avaliações médicas, Fagan ficou internado por seis meses em um hospital psiquiátrico na Inglaterra.

Desde a invasão ao quarto de Elizabeth II, as medidas de segurança dos palácios reais britânicos foram revistas sucessivamente e amplamente reforçadas. Mas insuficientes para frustrar novas tentativas.

Em outubro de 2013, outro homem, desta vez portando uma faca, tentou entrar no mesmo palácio por meio de um de seus portões. Ele ficou preso por pouco mais de um ano.

Três anos depois fica evidente nova falha de segurança do palácio no centro de Londres. Um homem de 21 anos, desarmado, foi preso em outubro de 2016 depois de escalar um portão do Palácio de Buckingham. “Quando ele caiu no chão ele encontrou policiais e foi preso por invasão”, explicou a polícia, à época.

Três meses antes, outro homem — Dennis Hennessy, de 41 anos, que já havia sido condenado por assassinato — escalou um muro e caminhou por cerca de 10 metros dentro do terreno do Palácio de Buckingham antes de ser preso. Ele ficou detido por quatro meses.

*Com informações da CNN Internacional e da Reuters

Mais Recentes da CNN