Número de deslocados à força no mundo atinge marca de 100 milhões, diz ONU

Agência da ONU para Refugiados alerta para número recorde; cálculo considera pessoas forçadas a fugir de guerras, conflitos e violações diversas ao direitos humanos

REUTERS

Da CNN

Ouvir notícia

A guerra na Ucrânia e outros conflitos elevaram o número de pessoas forçadas a fugir de guerras, violência, violações de direitos humanos e perseguição atingindo pela primeira vez a impressionante marca de 100 milhões, informou a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) no domingo (22).

“Cem milhões é um número gritante – preocupante e alarmante em igual medida. É um recorde que nunca deveria ter sido estabelecido”, disse o Alto Comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi.

“Isso deve servir como um alerta para resolver e prevenir conflitos destrutivos, acabar com a perseguição e abordar as causas subjacentes que forçam pessoas inocentes a fugir de suas casas.”

Segundo a ACNUR, o número de pessoas deslocadas à força em todo o mundo subiu para 90 milhões até o final de 2021, impulsionado por novas ondas de violência ou conflitos prolongados em países como Etiópia, Burkina Faso, Mianmar, Nigéria, Afeganistão e República Democrática do Congo.

Em 2022, a guerra na Ucrânia deslocou 8 milhões dentro do país e forçou cerca de 6 milhões a deixar o país.

Registro impressionante

Cem milhões de pessoas deslocadas à força em todo o mundo representam 1% da população global e é equivalente ao 14º país mais populoso do mundo.

O número inclui refugiados e requerentes de asilo, bem como os 53,2 milhões de pessoas deslocadas dentro de suas fronteiras por conflitos.

“A resposta internacional às pessoas que fogem da guerra na Ucrânia tem sido extremamente positiva”, acrescentou Grandi.

“A compaixão está viva e precisamos de uma mobilização semelhante para todas as crises ao redor do mundo. Mas, em última análise, a ajuda humanitária é um paliativo, não uma cura. Para reverter essa tendência, a única resposta é a paz e a estabilidade para que pessoas inocentes não sejam forçadas a jogar entre o perigo agudo em casa ou a fuga precária e o exílio.”

Na semana passada, a Organização Internacional para as Migrações informou que um recorde de 59,1 milhões de pessoas foram deslocadas dentro de suas terras no ano passado, quatro milhões a mais do que em 2020.

Conflitos e violência provocaram 14,4 milhões de deslocamentos internos em 2021, um aumento de quase 50% em relação ao ano anterior.

Enquanto isso, eventos relacionados ao clima, como inundações, tempestades e ciclones, resultaram em cerca de 23,7 milhões de deslocamentos internos em 2021, principalmente na região da Ásia-Pacífico.

Mais Recentes da CNN