Esquema que tentava registrar pessoas mortas para votar é descoberto na Flórida

Condado de Broward teve cerca de 50 solicitações de registro de voto desse tipo, todas enviadas em envelopes com carimbos de Columbia, na Carolina do Sul

Curt Devine, da CNN
31 de outubro de 2020 às 02:08
Cédula de votação pelo correio usada na Carolina do Norte
Foto: Jonathan Drake - 4.set.2020 / Reuters

Autoridades policiais e eleitorais da Flórida identificaram um esquema que visava registrar dezenas de pessoas mortas para votar no Condado de Broward, na Flórida. A motivação ainda é incerta, segundo o escritório eleitoral local.

O condado teve cerca de 50 solicitações de registro de voto desse tipo, todas enviadas em envelopes com carimbos de Columbia, na Carolina do Sul, sem um endereço de retorno.

Assista e leia também:
Trump e Biden têm algo em comum: nunca tomaram bebidas alcoólicas
Trump e Biden lutam pelo centro-oeste dos EUA em plena piora da pandemia
Eleições nos EUA: por que o resultado provavelmente não sairá em 3 de novembro

A maioria das pessoas indicadas nos pedidos – listadas como democratas – foram verificadas e identificadas como mortas. Com isso, nenhum desses votos foi contabilizado, disse Steven Vancore, porta-voz das eleições no condado.

Ele disse que a Flórida permite que as pessoas se registrem para votar pelo correio, mas que o condado recebe dados estaduais sobre aquelas que morreram, e marcam esses indivíduos nos arquivos como inelegíveis para votar. 

Além disso, o estado exige um documento de identificação válido para votar de fato, logo o esquema “só completou metade da equação” necessária, segundo Vancore.

“Alguém se deu ao trabalho de explorar o sistema e foi pego”, contou ele. “Não sabemos se essa pessoa fez isso por pura sacanagem ou se estava tentando alterar o resultado da eleição.”

Investigação iniciada em agosto

Timothy Donnelly, procurador-assistente do estado, escreveu, em agosto, uma carta ao supervisor das eleições em Broward, Peter Antonacci, dizendo ter iniciado uma investigação sobre as solicitações e que havia “diversas possíveis violações criminais”.

Outro funcionário da Procuradoria do estado escreveu, em 22 de outubro, um e-mail para Antonacci informando que as solicitações pareciam ter sido preenchidas por uma única pessoa. “Em razão do fato de que elas foram enviadas sem endereço de retorno, não consigo identificar a pessoa que enviou essas solicitações”, segundo o documento compartilhado com a CNN.

Apenas cinco nomes nos pedidos estavam com registro ativo no condado na época. Outros eram de indivíduos nascidos há mais de 100 anos.

Um porta-voz do escritório da Procuradoria estadual de Broward disse nessa sexta (30) que não iria comentar sobre uma investigação que ainda está em andamento.

“Levamos qualquer alegação de fraude eleitoral muito a sério, porque afeta nossa democracia”, afirmou o procurador estadual Mike Satz. “Qualquer um que tiver informações sobre qualquer tentativa de crime de fraude eleitoral deve reportá-la ao Supervisor Eleitoral e à Procuradoria Estadual de Broward para que possa ser investigada por completo.”

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)