Biden: “É hora de superar a raiva e discursos extremos e se unir como uma nação”

"Serei um presidente para todos os americanos, ainda que não tenha votado em mim", disse o democrata

Da CNN
07 de novembro de 2020 às 14:21 | Atualizado 07 de novembro de 2020 às 14:23
O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden
O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden
Foto: Brian Snyder - 04.nov.2020 / Reuters

O presidente-eleito segundo as projeções da CNN, Joe Biden, lançou um pronunciamento, dizendo que ele está “honrado pela confiança que o povo americano depositou” nele e na vice-presidente-eleita Kamala Harris.

“Com o fim da campanha, é hora de colocar a raiva e os discursos extremos no passado e se unir como uma nação”, a nota adicionou.

Em suas redes sociais, Joe Biden já atualizou sua biografia para "presidente-eleito". Em publicação no Twitter, ele agradeceu os eleitores.

 A publicação diz, em tradução livre:

"Estou honrado que vocês tenham me escolhido para liderar nosso grande país. O trabalho à frente será duro, mas eu lhes prometo isso: Eu serei um presidente para todos os americanos - tendo você votado em mim, ou não. Eu manterei a fé que depositaram em mim".

Leia também: 
Projeções da CNN: Biden é eleito presidente dos EUA; Trump questiona resultado
Palácio do Planalto ainda não reconhecerá Biden vitorioso
Os desafios econômicos que Joe Biden precisa enfrentar no comando dos EUA

 

Nota Biden
Nota de Joe Biden após projeções o considerarem como presidente-eleito
Foto: Reprodução


 Leia o pronunciamento na íntegra:

“Eu estou honrado pela confiança que o povo americano depositou em mim e na vice-presidente-eleita Kamala Harris. 

Em face de desafios sem precedentes, um número recorde de americanos votaram. Mostrando mais uma vez, que a democracia está profundamente no coração da América.

Com o fim da campanha, é hora de colocar a raiva e os discursos extremos no passado e se unir como uma nação.

É hora da América se unir. E se curar.

Nós somos os Estados Unidos da América, e juntos, não há nada que não possamos fazer."