Certificação de votos atrasa em Michigan por contestação de fiscais republicanos

Certificação de votos atrasou no condado de Wayne, que abriga Detroit, após fiscais republicanos alegarem "discrepância" na revisão pós-eleitoral

Por Annie Grayer e Marshall Cohen, da CNN
18 de novembro de 2020 às 02:21
Eleitores aguardam em fila para votar nos Estados Unidos
Foto: Reuters


Um comitê bipartidário de fiscais, no condado de Wayne - o maior do estado do Michigan, que abriga a cidade de Detroit - certificou por unanimidade os resultados eleitorais nesta terça-feira (17) após fiscais republicanos bloquearem temporariamente e a certificação, alegando irregularidades, e atrasrem o processo.

Inicialmente, a votação para certificar os resultados das eleições presidenciais empatou em 2 a 2, com dois democratas votando para certificar e dois republicanos votando contra, citando que distritos de Detroit "encontraram discrepâncias" durante seu processo de revisão pós-eleitoral.

Leia também:
Trump demite responsável por segurança cibernética que negou fraude eleitoral

Após sinais de recuo, Trump volta a afirmar que venceu eleição presidencial

Horas depois, os fiscais voltaram atrás e arpovaram a certificação do resultado.

Em uma entrevista ao jornalista Chris Cuomo, da CNN, Jocelyn Benson, secretária de Estado de Michigan - maior autoridade para certificar os votos - citou uma auditoria "abrangente" para analisar os votos em Detroit e elogiou a decisão do conselho do condado de reverter a contestação e certificar os resultados.

“Parece que a verdade venceu neste cenário”, disse ela. "Basicamente, a prova foi clara: não houve irregularidades, não houve evidência de fraude generalizada e, na verdade, houve apenas pequenos erros de escrita. Acho que eles fizeram a coisa certa, cumpriram seu dever e certificaram a eleição para os eleitores do condado de Wayne".

A contestação temporária dos republicanos foi imediatamente condenada por funcionários democratas e especialistas apartidários, que disseram que a eleição em Detroit foi conduzida de forma limpa.

Joe Biden venceu no Michigan por mais de 148 mil votos, vitória possibilitada por uma forte vantagem no Condado de Wayne, onde obteve mais de 322 mil votos sobre o presidente Donald Trump.

A votação inicial contra a certificação chamou a atenção do presidente, que postou uma série de tuítes elogiando os membros do Partido Republicano do conselho por "terem coragem". Ele também espalhou falsas alegações sobre fraudes maciças de eleitores e disse que os funcionários do estado deveriam "levar Michigan de volta a Trump".