Espanha registra 102 mortes por Covid-19, menor número em 8 semanas

Primeiro-ministro Pedro Sánchez pedirá ao Parlamento que estenda o estado de emergência pelo novo coronavírus uma última vez, até o final de junho

Moradores de bairros pobres de Madri aguardam em fila para receber alimentos do governo durante crise causada pelo novo coronavírus
Moradores de bairros pobres de Madri aguardam em fila para receber alimentos do governo durante crise causada pelo novo coronavírus Foto: Reuters

Reuters

Ouvir notícia

A Espanha registrou 102 mortes pelo novo coronavírus, informou o Ministério da Saúde neste sábado (16), o número mais baixo nas atualizações diárias no país desde meados de março.

O número acumulado de mortes aumentou para 27.563, enquanto o de casos confirmados de coronavírus subiu para 230.698 – ante 230.183 na sexta-feira.

Apesar de as curvas de infecção e morte estarem em baixa no país, o primeiro-ministro Pedro Sánchez tentará estender o estado de emergência no país uma última vez, até o final de junho.

“O caminho que estamos tomando é o único possível”, disse Sánchez em entrevista coletiva, afirmando que pediria ao Parlamento uma prorrogação de cerca de um mês até o final de junho, quando a maioria do país já deve ter voltado à normalidade.

Leia também:

Espanha reduz restrições de isolamento para quase 70% da população

No verão europeu, será preciso reservar lugar em algumas praias

A Espanha colocou em vigor um decreto de emergência em 14 de março. Autoridades dizem que, embora o surto tenha sido controlado em grande parte, as restrições devem permanecer à medida que o bloqueio é gradualmente eliminado.

Depois de promover quatro extensões anteriores no Parlamento, o apoio à coalizão de esquerda de Sánchez está diminuindo entre parlamentares e eleitores.

Alguns pequenos protestos contra a forma como o governo lidou com a crise do coronavírus e suas consequências econômicas surgiram em Madri nesta semana, com manifestantes se reunindo para bater em panelas e pedir que o governo renuncie.

Na maior dessas manifestações, no rico bairro de Salamanca, centenas de pessoas se reuniram, apesar dos esforços da polícia para impor o distanciamento social.

“Não importa do que se tratam as manifestações. O importante é manter o distanciamento social”, afirmou Sánchez.

Mais Recentes da CNN