Especialistas discutem se deixar de tomar banho diariamente impacta meio ambiente

Cientistas apontam a necessidade de se economizar água para evitar mais escassez e como isso é possível com medidas simples

Desligar o chuveiro na hora de se ensaboar é uma maneira de economizar água, segundo especialista
Desligar o chuveiro na hora de se ensaboar é uma maneira de economizar água, segundo especialista Unplash

Angela Reyesda CNN

Ouvir notícia

Certamente você ouviu alguém dizer que: “Não tomo banho todos os dias para cuidar do meio ambiente.” E alguns podem usar isso como um argumento porque têm preguiça de banhar-se, mas também há aqueles que acreditam nisso. É por isso que perguntamos aos especialistas: é preciso alternar os dias de banho? Onde está a chave para essa poupança?

“Não tomar banho alguns dias da semana em situações mais extremas de escassez pode ser necessário, mas não é desejável. Em situações normais, porém, espera-se que as pessoas possam tomar banho quantas vezes considerarem necessárias para manter sua higiene, mas regulando o consumo de água na quantidade certa ”, explicou à CNN Miguel Doria, hidrólogo regional do Programa Hidrológico Internacional do Escritório de Ciências da Unesco para a América Latina e o Caribe.

Danilo Ríos, mestre em Engenharia Ambiental e professor da Universidade da República do Uruguai, concorda que não é aconselhável eliminar o hábito. “Há muitas coisas antes”, diz ele, explicando que essa medida por si só pode ser considerada “irrelevante” em comparação com outras áreas em que você pode economizar.

“Existem ações menos drásticas e muito mais contundentes”, diz Ferney Díaz, coordenador de Comunicações Estratégicas do WWF Colômbia.

Não é que a poupança doméstica não importe, na verdade ela é essencial segundo os especialistas. “As ações individuais somam-se e são importantes, principalmente em situações de escassez de água”, diz Doria. Díaz concorda que “nas casas há definitivamente um epicentro de mudanças gigantescas”. Mais onde?

Antes de responder a esta pergunta, uma observação: ao falarmos sobre quanto devemos tomar banho, é importante lembrar que poder tomar banho em si é um privilégio. A água é considerada um direito, mas 2,2 bilhões de pessoas não têm acesso aos serviços de água potável, de acordo com a ONU.

“Um dos focos (do acesso à água), sem dúvida, deve ser garantir que todos tenham acesso e conseguir uma distribuição justa do recurso”, explica Doria, acrescentando que mesmo quem tem acesso “nem sempre tem acesso a um abastecimento contínuo, de qualidade e quantidade”.

Como economizar água em casa?

A contribuição decisiva que podemos dar como indivíduos, segundo Díaz, do WWF Colômbia, está longe de ser ‘lugar comum’: é reduzir o desperdício de alimentos. Mas qual é o link?

Cerca de 70% da água doce utilizada é destinada à produção de alimentos. E cerca de 40% dos alimentos são desperdiçados nas diferentes partes do processo. Isso significa que, além disso, a água utilizada na sua produção é desperdiçada.

Portanto, as decisões de compra de alimentos, cozimento e consumo são fundamentais. Nesse sentido, Díaz sugere que o ideal é uma alimentação variada que favoreça o consumo de frutas e verduras, que representam cerca de 60% do desperdício de alimentos.

Ele também recomenda escolher produtos que estejam perto do prazo de validade e não descartar frutas e vegetais por causa de sua aparência.

No chuveiro versus consumo de alimentos, os números são o argumento mais forte. Um exemplo: Díaz explica que, em média, “para produzir uma banana grande, são usados ​​cerca de 160 litros de água, o equivalente a um banho de 17 minutos. Isso é o que se perde quando jogamos fora uma banana”.

Para Díaz é fundamental adaptar nossos hábitos ao fato de os recursos serem limitados. “Não podemos continuar agindo como se vivêssemos em um mundo onde os recursos são infinitos”, explica.

O que devo levar em consideração ao tomar banho?

Se você precisa daquele banho, vá em frente. Mas tenha algumas recomendações em mente. “Em vez de não tomar banho, pode-se adotar hábitos como fechar a torneira enquanto se ensaboa, evitar banhos de imersão ou limitar o uso do chuveiro a cinco minutos. Por exemplo, em algumas comunidades onde a água do banho é aquecida a lenha, as pessoas conseguem se banhar com cerca de cinco litros de água”, explica Doria, da Unesco.

Outra dica é usar arejadores ou dispersores, dizem Doria e Ríos, já que economizam água.

No banheiro, outro elemento a ser otimizado são os vasos sanitários: é desejável usar vasos sanitários de baixa vazão e dupla descarga, diz Doria.

Escassez de água é problema presente

Três números divulgados pela ONU mostram até que ponto a escassez é um problema do presente: perto de 4.000 milhões de pessoas sofrem com grave escassez de água por pelo menos um mês. Cerca de 2 bilhões vivem em países com problemas de escassez de água por ano e, em 2030, cerca de 700 milhões podem ser deslocados por severa escassez de água.

De acordo com um estudo publicado em agosto na revista Nature Communications, 933 milhões de residentes urbanos viviam em regiões com escassez de água em 2016, aproximadamente 30% da população urbana total. Índia, China, Estados Unidos e México lideram a lista.

Panorama 2050

De acordo com as projeções, o problema da escassez de água vai piorar consideravelmente. Entre as populações urbanas, o estudo da Nature Communications estima que pouco mais de 2,065 bilhões de pessoas enfrentarão escassez de água até 2050.

Por trás desse problema estão vários fatores, de acordo com o estudo: crescimento populacional, urbanização, desenvolvimento socioeconômico que aumenta a demanda e mudanças climáticas, que impactarão na distribuição espacial e na disponibilidade de água.

“A situação dos recursos hídricos é preocupante em várias partes do mundo e na região: temos geleiras recuando, secas e inundações cada vez mais intensas. O aumento populacional implica também na redução da quantidade de água disponível per capita e a urbanização pode gerar maior densidade populacional nas bacias hidrográficas. Tudo isso torna a gestão dos recursos hídricos muito mais complexa”, explica Doria.

É necessário tomar banho todos os dias?

É necessário tomar banho todos os dias para a saúde? Para adultos, a resposta depende das atividades diárias, segundo Elaine Larson, professora residente da Academia de Medicina de Nova York e professora emérita de epidemiologia da Escola Mailman de Saúde Pública da Universidade de Columbia.

A especialista diz que, por exemplo, o banho diário não é necessário se você passa a maior parte do dia dentro de casa e não entra em contato com germes desconhecidos. E ela diz que isso é especialmente verdadeiro para adultos mais velhos, cuja pele seca com lavagens frequentes pode acabar sendo contraproducente.

As mesmas recomendações não são mantidas para todas as idades. Bebês, crianças e adolescentes têm necessidades diferentes, de acordo com o Dr. Andrew Doyle, pediatra do Wellstar Health System em Marietta, na Geórgia.

(Texto traduzido. Leia aqui o original em espanhol.)

Mais Recentes da CNN