Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Essequibo: 4 fatos para entender como é região disputada entre Guiana e Venezuela

    Maduro ordenou criação do estado Guayana Esequiba e anunciou que concederá nacionalidade venezuelana para residentes da região

    Membro da Assembleia Nacional da Venezuela segura um mapa que mostra a disputada região de Essequibo como parte da Venezuela
    Membro da Assembleia Nacional da Venezuela segura um mapa que mostra a disputada região de Essequibo como parte da Venezuela 06/12/2023 - REUTERS/Leonardo Fernandez Viloria

    CNN Espanhol

    A disputa entre Venezuela e Guiana sobre o Essequibo atinge seu ponto mais alto após a realização de um referendo consultivo em Caracas, no qual os eleitores apoiaram a proposta de criação de um estado venezuelano na região rica em petróleo, gás, ouro e outros minerais.

    Na sequência dos resultados, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou a criação do estado Guayana Esequiba e anunciou que concederá a nacionalidade venezuelana a todos os cidadãos residentes naquele território.

    A área corresponde a dois terços do território da Guiana, portanto uma “anexação” pela Venezuela, como Georgetown a chamou, representaria uma ameaça existencial ao país.

    Estando entre um território e outro, sua população é diversificada e seus costumes ainda mais. A seguir, quatro fatos para saber um pouco mais sobre a vida dentro de Essequibo.

    4 pontos para entender Essequibo

    População

    O epicentro da disputa territorial entre a Venezuela e a Guiana é uma região onde vivem cerca de 125.000 pessoas.

    Segundo dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), mais de 19.000 migrantes venezuelanos vivem na Guiana em busca de melhores condições econômicas e de trabalho.

    Sendo uma região rica em recursos naturais, florestais e agrícolas, a principal fonte de renda de Essequibo é a extração de petróleo e as reservas de ouro.

    Seus habitantes obtêm recursos principalmente das florestas tropicais, das plantações de cana, dos campos de açúcar, de arroz e da pesca.

    Vários grupos indígenas residem em Essequibo: Sarao, Arawako, Kariña, Patamuná, Arekuna, Akawaio, Wapishana, Makushi e Wai Wai, sendo os Arawako a maior comunidade, de acordo com a comunidade internacional de tradutores, escritores e acadêmicos Global Voices.

    Segundo a plataforma, muitos desses grupos vivem tanto na Venezuela quanto na Guiana.

    Idioma

    O inglês é a língua predominante no território de cerca de 160.000 km², grande parte do qual é floresta tropical pouco explorada.

    Porém, devido à diversidade de grupos indígenas que ali vivem, eles falam outras línguas como o pemon ou o arekuna e o wapishana, segundo o Global Voices.

    Cultura

    Tendo uma história com o Reino Unido e fazendo parte principalmente da Guiana, em Essequibo as tradições familiares possuem muita força.

    A cultura é semelhante à das chamadas “Índias Ocidentais”.

    Suas festas são coloridas, há música nas ruas e a dança é uma de suas principais atividades.

    Economia

    Sua moeda oficial é o dólar da Guiana. Um dólar americano equivale a 209,56 dólares guianenses à taxa de câmbio de 9 de dezembro. Já um real equivale a 42,50 dólares guianenses.

    A região é motivo de disputa devido à grande quantidade de recursos minerais. Há ali uma grande presença de bauxita, ouro, diamantes e manganês, segundo o governo da Venezuela, e “suspeita-se”, diz Caracas, que existam “reservas importantes de urânio, petróleo e gás natural”.

    Veja também: Lula se oferece para mediar crise de Venezuela e Guiana

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original