Casa Branca: EUA estão preparados para impor sanções caso Rússia invada Ucrânia

Tensão no leste da Europa pode dar origem a um conflito armado de grande escala, segundo autoridades ucranianas

Soldados ucranianos patrulham fronteira com a Rússia após aumento da tensão na região
Soldados ucranianos patrulham fronteira com a Rússia após aumento da tensão na região Foto: Ukrainian Armed Forces - 12.abr.2021/ Anadolu Agency via Getty Images

Trevor HunnicuttJarrett Renshawda Reuters

Ouvir notícia

O governo Biden está preparado para impor sanções ou outras medidas contra a Rússia caso o país invada a Ucrânia, afirmou a porta-voz da Casa Branca Jen Psaki na sexta-feira.

Psaki disse que o presidente russo Vladimir Putin está tomando medidas que lhe permitirão invadir o país vizinho.

“É por isso que queremos estar preparados em uma área sobre a qual expressamos sérias preocupações”, completou.

A porta-voz disse ainda que os Estados Unidos estão se organizando para uma possível ligação com Putin para discutir o assunto.

Isso acontece após a Rússia reunir mais de 94.000 soldados perto da fronteira com a Ucrânia, em uma possível preparação para uma ofensiva militar em grande escala no final de janeiro, segundo o que disse o ministro da Defesa da Ucrânia Oleksii Reznikov ao parlamento na sexta-feira, citando relatórios de inteligência.

“Nossa inteligência analisa todos os cenários, incluindo o pior”, disse Reznikov. “Ela observa que existe a probabilidade de um conflito em grande escala com a Rússia. O momento mais provável para isso é o final de janeiro.

O ministro afirmou que a Ucrânia não fará nada para provocar a situação, mas está pronta para contra-atacar caso a Rússia lance um ataque. Ainda de acordo com Reznikov, o país está avançando com a construção de duas bases navais em sua costa sul.

Moscou, por sua vez, acusou a Ucrânia e os Estados Unidos de “comportamento desestabilizador”, e sugeriu que Kiev pode estar se preparando para lançar sua própria ofensiva no leste da Ucrânia, o que as autoridades ucranianas negam veementemente.

O vice-presidente da Câmara Alta do Parlamento da Rússia negou que Moscou esteja planejando qualquer operação ofensiva no leste da Ucrânia, e disse que a Rússia fará tudo o que puder para evitar uma grande escalada na região, informou a agência de notícias Interfax.

Mais Recentes da CNN