Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA impõem novas sanções contra programa de mísseis balísticos do Irã

    Governo Biden tomou a medida em resposta a um ataque com mísseis a Erbil, no Iraque, no início de março

    Bandeira do Irã em Viena
    Bandeira do Irã em Viena REUTERS/Lisi Niesner

    Jeremy Herbda CNN

    Washington

    Ouvir notícia

    O Departamento do Tesouro anunciou novas sanções contra a unidade da Guarda Revolucionária Islâmica responsável pela pesquisa e desenvolvimento de mísseis balísticos, bem como a Parchin Chemical Industries do Irã e um intermediário iraniano que trabalhou na aquisição de peças para propulsão de mísseis.

    “As atividades relacionadas a mísseis balísticos do Irã continuam a desestabilizar a região do Oriente Médio, e os Estados Unidos continuarão a usar todas as ferramentas à nossa disposição para interrompê-las”, disse o secretário de Estado, Antony Blinken, em comunicado nesta quarta-feira (30).

    As novas sanções ocorrem quando os Estados Unidos ainda estão tentando chegar a um acordo com o Irã para reentrar no acordo nuclear, também conhecido como Plano de Ação Abrangente Conjunto. Embora as autoridades americanas tenham dito que um acordo parecia próximo no início deste mês, houve sinais nos últimos dias de que pode não ser iminente.

    O enviado especial dos EUA para o Irã, Robert Malley, disse a Becky Anderson, da CNN, em Doha, no domingo (27), que um acordo nuclear “não está próximo e não é inevitável” devido a questões pendentes, incluindo as demandas de Teerã relacionadas ao Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica.

    Também no domingo, Blinken disse durante uma reunião com o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, que os EUA combateriam as ações hostis do Irã, independentemente do que acontecer com o acordo nuclear.

    “Com ou sem acordo, continuaremos trabalhando juntos e com outros parceiros para combater o comportamento desestabilizador do Irã na região”, disse Blinken.

    O Departamento do Tesouro disse que as novas sanções foram decretadas após o ataque com mísseis em 13 de março na cidade de Erbil, no Iraque. Os mísseis caíram perto do prédio do consulado dos EUA, que está em construção, embora o Departamento de Estado tenha dito que não atingiu nenhuma instalação americana.

    A declaração do Tesouro também citou o “ataque de mísseis Houthi habilitados pelo Irã contra uma instalação da Saudi Aramco em 25 de março, bem como outros ataques de mísseis de iranianos contra a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos”, dizendo que todos os ataques “são um lembrete de que o desenvolvimento e proliferação de mísseis balísticos continua a representar uma séria ameaça à segurança internacional.”

    “Enquanto os Estados Unidos continuam buscando o retorno do Irã ao cumprimento total do Plano de Ação Abrangente Conjunto, não hesitaremos em atacar aqueles que apoiam o programa de mísseis balísticos do Irã”, disse o subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira, Brian Nelson, em comunicado.

    “Também trabalharemos com outros parceiros na região para responsabilizar o Irã por suas ações, incluindo violações grosseiras da soberania de seus vizinhos”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN