Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eventuais novos pedidos de brasileiros para deixar Gaza serão avaliados, diz Mauro Vieira à CNN

    Ministro das Relações Exteriores afirma que não houve outros pedidos de resgate e que nova operação depende da manifestação de brasileiros

    Lucas MendesCaroline Rositoda CNN

    O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, disse à CNN neste domingo (12) que novas manifestações de brasileiros interessados em deixar a Faixa de Gaza para fugir dos ataques de Israel devem passar por análise futura. Segundo ele, por ora, não há uma nova lista.

    O chanceler afirmou que a representação diplomática brasileira na Palestina tem o contato de brasileiros e familiares que estão registrados nos serviços consulares. Até o momento, não houve novos pedidos de repatriação.

    “Se surgirem novos nomes, serão tratados a partir de agora”, disse Vieira. “Todos que manifestarem interesse, serão acolhidos, entrarão numa lista para tratamento futuro”.

    Uma eventual nova lista de brasileiros que queiram deixar a zona de conflito terá que ser enviada às autoridades da região. “Vai depender da localização dessas pessoas, do contato, da necessidade e disposição de partirem”, disse o ministro.

    Conforme apurou a CNN, além deste primeiro grupo que conseguiu deixar Gaza após 35 dias desde o início do conflito, há uma segunda lista que tem entre 40 e 50 pessoas interessadas em deixar a região.

    Tratam-se de brasileiros e parentes próximos que demonstraram interesse na repatriação após a escalada do conflito e da crise humanitária. Portanto, depois do envio de documentos deste grupo inicial de 34 pessoas que solicitou a saída de Gaza logos nos primeiros dias da guerra em outubro.

    Segundo apurou a CNN, este segundo grupo não pode ser incluído na lista de brasileiros autorizados a deixar Rafah, porque as autoridades envolvidas nas tratativas — Israel e Egito — não estão recebendo novos pedidos de saída neste momento.

    Operação “encerrada”

    Vieira considerou como “encerrada” essa fase da operação de resgate de brasileiros de Gaza. Um grupo de 32 brasileiros foi autorizado a deixar o local neste domingo (12). Eles estão a caminho de Cairo, capital do Egito, de onde embarcarão no avião da Presidência da República rumo ao Brasil.

    “Trouxemos de Israel 1200 ou 1300 pessoas, depois houve um voo da Cisjordânia também, e esse que é o décimo voo da operação para repatriar brasileiros, encerra [o resgate] os que estavam em listas oficiais”, declarou.

    Vieira também afirmou que o governo continuará empenhado a encontrar uma solução “consensual e negociada” entre todos os integrantes do Conselho de Segurança da ONU que possa levar à suspensão das hostilidades e a uma pausa humanitária.

    Essa pausa, conforme o chanceler, possibilitaria o atendimento de necessidades básicas de feridos que estão em Gaza, a entrada de auxílio humanitário, e a “saída dos que precisam sair, sobretudo de nacionais e estrangeiros de terceiros países”.

    “Condenamos os atos terroristas que iniciaram o conflito, mas também defendemos uma solução humanitária e, sobretudo, também o respeito ao direito internacional, o direito humanitário internacional, de forma que os direitos de civis sejam respeitados e protegidos”.

    O mandato do Brasil no Conselho de Segurança da ONU termina em 31 de dezembro deste ano. O colegiado é formado por 15 países, dos quais cinco têm participação permanente: China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.

    Os outros dez integrantes são rotativos. Além do Brasil, a atual composição tem Albânia, Equador, Emirados Árabes, Gabão, Gana, Japão, Malta, Moçambique e Suíça.