Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ex-advogada de Trump se declara culpada por interferência no processo eleitoral de 2020

    Sidney Powell confessou ter conspirado para acessar ilegalmente máquinas eleitorais do condado de Coffee, no sudeste da Geórgia, em janeiro de 2021, após a derrota de Trump nas eleições americanas

    Sidney Powell em registro policial.
    Sidney Powell em registro policial. 23/8/2023 Divulgação via REUTERS

    Andrew GoudswardKanishka Singhda Reuters

    Uma ex-advogada de Donald Trump, Sidney Powell, se declarou culpada, nesta quinta-feira (19), de seis acusações de conspiração por ajudar em tentativas de reverter a derrota eleitoral de Trump no estado da Geórgia, segundo o processo judicial.

    Powell se declarou culpada de seis acusações de conspiração para cometer interferência intencionalmente no processo eleitoral e concordou em testemunhar contra Trump e outros corréus no caso, se solicitada.

    O ex-presidente Donald Trump, candidato favorito à indicação presidencial do Partido Republicano em 2024, se declarou inocente em um indiciamento no condado de Fulton, na Geórgia, que o acusa de violar a lei contra organizações corruptas e influenciadas por extorsionistas ao ter se esforçado para reverter a sua derrota nas urnas em 2020.

    A advogada admitiu ter conspirado para acessar ilegalmente máquinas eleitorais seguras na zona rural do condado de Coffee, no sudeste da Geórgia, em janeiro de 2021. O acordo de confissão prevê que ela seja condenada a seis anos de liberdade condicional.

    Powell representou Trump após a eleição presidencial de 2020 e ajudou a divulgar as falsas alegações de que a eleição havia sido marcada por fraude eleitoral generalizada após a vitória do democrata Joe Biden.