Funcionários da Defesa dos EUA dizem que não há indício de ataque em Beirute

Eles contrariam Trump, que disse que explosão parecia 'algum tipo de bomba'

Donald Trump, presidente dos EUA
Donald Trump, presidente dos EUA Foto: Carlos Barria/ Reuters (29.jul.2020)

Barbara Starr, Ryan Browne e Nikki Carvajal,

da CNN

Ouvir notícia

Três funcionários do departamento de Defesa dos Estados Unidos disseram à CNN na noite desta terça-feira (4) que não havia indícios de que a explosão que balançou a capital libanesa Beirute tenha sido um ataque, como o presidente Donald Trump indicou durante uma entrevista coletiva na Casa Branca.

As autoridades, que se recusaram a se identificar, para poder falar livremente, disseram não saber do que o presidente está falando.

Leia também:

Trump diz que explosão no Líbano parece ‘algum tipo de bomba’

Presidente do Líbano diz que vai pedir estado de emergência em Beirute

Uma delas apontou que, se houvesse indicações de que alguém na região tivesse cometido algo nesta escala, geraria aumentos automáticos na proteção das tropas americanas na região, ainda que por nenhum outro motivo além de preocupação com ataques em retaliação.

O funcionário assinala que nada disso está acontecendo até este momento.

Mais cedo nesta terça, Trump ofereceu solidariedade e assistência para a população do Líbano após a explosão, que deixou dezenas de mortos e milhares de feridos, se referindo ao incidente como um “ataque terrível”. 

“Deixem-me começar enviando a mais profunda solidariedade americana ao povo do Líbano, onde relatos dizem que muitas, muitas pessoas foram mortas, centenas mais foram gravemente feridas, em uma grande explosão em Beirute”, disse Trump em um pronunciamento à imprensa nesta noite.

“Nossas orações vão para todas as vítimas e suas famílias. Os Estados Unidos estão prontos para apoiar o Líbano”. 

Trump disse que o país tem uma “relação muito boa com a população do Líbano e estaremos lá para ajudar”. 

“Parece um ataque terrível”, disse Trump, parecendo consultar suas anotações no pódio. 

Questionado se ele estava certo de que a explosão teria sido um ataque e não um acidente, o presidente disse que “parecia” que tinha sido, baseado no que autoridades militares dos EUA haviam lhe dito. 

“Parece que foi, baseado na explosão”, disse Trump. “Eu me encontrei com alguns dos nossos grandes generais e eles parecem sentir que não foi um tipo de evento de explosão de manufatura. Isso foi, parece ser, de acordo com eles, eles saberiam melhor do que eu, mas eles parecem pensar que foi um ataque. Foi algum tipo de bomba”. 

Há relatos conflitantes do que causou a explosão, que foi inicialmente ligada a um grande incêndio em um armazém de fogos de artifício próximo do porto.

O diretor de segurança geral disse depois que o incidente foi causado por “materiais altamente explosivos” que haviam sido confiscados, mas não ofereceu mais detalhes.

As autoridades libanesas não chamaram a explosão de ataque.

(Texto traduzido, leia o original em inglês

Mais Recentes da CNN