Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Furacão Hilary se intensifica e deve trazer chuvas e ventos fortes para o sudoeste dos EUA

    Faixas do sul dos estados da Califórnia e Nevada podem ter até 254 milímetros de precipitações

    Furacão Hilary se aproxima do sudoeste dos Estados Unidos
    Furacão Hilary se aproxima do sudoeste dos Estados Unidos Peter Zay/Getty Images

    Elizabeth WolfeMary Gilbertda CNN

    O furacão Hilary se intensificou para uma tempestade de categoria 4 ao se aproximar da península de Baja California, no México, mas deve enfraquecer no fim de semana, com chuva e ameaça de inundação em partes do sudoeste dos Estados Unidos.

    O furacão estava navegando a cerca de 680 quilômetros ao sul de Cabo San Lucas, no México, na manhã desta sexta-feira (18), com ventos sustentados de 225 km/h com rajadas mais fortes, disse o Centro Nacional de Furacões.

    A tempestade se fortaleceu para um furacão de categoria 3 na noite de quinta-feira (17) e pode se intensificar ainda mais na manhã desta sexta-feira.

    A previsão é de que Hilary permaneça na força da categoria 4 neste sábado (19) e comece a enfraquecer ao longo do dia, à medida que entra em águas muito mais frias a oeste da península.

    O centro de Hilary está a caminho de se aproximar da península nesta sexta-feira e no fim de semana, levando as autoridades mexicanas a emitir um alerta de furacão e alertas de tempestade tropical para partes de Baja California Sur, informou o centro de furacões.

    Ainda há uma ampla gama de resultados para as chuvas mais fortes e os ventos mais fortes nos EUA, à medida que a tempestade se move para o norte nos próximos dias. Pequenos desvios na trajetória do furacão podem alterar a previsão para chuvas e ventos mais intensos.

    Veja também – Cactos não resistem à onda de calor no Arizona

    “A ameaça de impactos significativos do vento continua a aumentar nas porções do norte da Península de Baja California e no sudoeste dos Estados Unidos, especialmente em áreas de terreno montanhoso”, disse o centro de furacões na noite de quinta-feira.

    Inundações repentinas e deslizamentos de terra também podem ser desencadeados por chuvas em partes da península do final desta sexta-feira até domingo (20).

    Espera-se que o furacão Hilary produza quantidades de chuva entre 76 e 152 milímetros, com quantidades máximas isoladas de até 254 milímetros, em partes da península de Baja California até a noite de domingo.

    Além disso, uma tempestade pode causar inundações costeiras ao longo da parte ocidental da península e será acompanhada por ondas grandes e destrutivas.

    EUA se preparam para fortes chuvas

    Espera-se que o furacão Hilary enfraqueça substancialmente antes de chegar ao sul da Califórnia e partes do sudoeste dos EUA, mas há uma chance crescente de que as regiões sejam significativamente afetadas por fortes chuvas e inundações.

    As fortes chuvas devem impactar o sudoeste nesta sexta-feira e no início da próxima semana, com as chuvas mais intensas provavelmente no domingo e na segunda-feira (21), segundo os meteorologistas.

    Faixas do sul da Califórnia e Nevada podem ter 76 e 127 milímetros de chuva com quantidades isoladas de até 254 milímetros. Quantidades menores de 25 milímetros a 76 milímetros são esperadas nas partes centrais desses estados, bem como no oeste do Arizona e no sudoeste de Utah.

    A chuva prolongada pode saturar demais o solo e sobrecarregar os cursos de água, piorando potencialmente a ameaça de inundação.

    Alertas de enchentes de fim de semana foram emitidos em todo o sul da Califórnia, estendendo-se de San Diego a Los Angeles, enquanto os moradores se preparam para possíveis dilúvios.

    O Serviço Nacional de Meteorologia de Los Angeles também alertou sobre o potencial de ondas perigosamente altas, correntes de retorno e inundações costeiras.

    Se o furacão Hilary atingir a Califórnia como uma tempestade tropical, será uma ocorrência rara – a primeira tempestade desse tipo em quase 84 anos e seria apenas a terceira tempestade tropical ou mais forte a fazê-lo no registro, de acordo com dados do National Oceanic e Administração Atmosférica.

    Sudoeste pode ter breve alívio

    À medida que as chuvas passam pelo sudoeste, elas podem ajudar a combater a seca prolongada e recarregar as águas subterrâneas esgotadas.

    As condições de seca persistiram na Califórnia e no Arizona esta semana e se expandiram no Novo México, informou o Monitor de Secas dos EUA na quinta-feira.

    Graças ao furacão Hilary, “vários anos de precipitação podem cair em algumas das partes mais secas da Califórnia”, disse Daniel Swain, cientista climático da Universidade da Califórnia em Los Angeles, na quarta-feira.

    Entre esses pontos está Death Valley, Califórnia, o lugar mais quente da Terra. O Vale da Morte normalmente recebe cerca de 50 milímetros de chuva durante um ano inteiro, de acordo com dados do Monitor.

    A umidade de Hilary poderia desencadear chuva suficiente para dar ao Vale da Morte pelo menos um ano de chuva em um único dia.

    Mas o dilúvio também pode ser perigoso. Cerca de 1.000 pessoas ficaram presas no Parque Nacional do Vale da Morte em agosto passado, quando 37 milímetros de chuva caíram em 24 horas, provocando inundações repentinas que destruíram estradas e carros enterrados em destroços varridos pela água.

    A região também sofreu com a ausência de uma monção sazonal que fornece uma grande porcentagem de sua precipitação anual, deixando cidades como Phoenix desesperadas por mais chuvas enquanto suportam semanas de temperaturas sufocantes.

    Agora, espera-se que a região obtenha algum alívio do calor extremo, já que as chuvas combinadas e o aumento da cobertura de nuvens podem reduzir as temperaturas.

    O resfriamento pode até ajudar Phoenix a quebrar sua perigosa faixa de calor, trazendo temperaturas abaixo de 37 °C pela primeira vez desde meados de junho.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original