Gloria Estefan conta que foi abusada sexualmente aos 9 anos por um familiar

“Eu sabia que estava em uma situação perigosa e disse a ele 'você não pode fazer isso', ele me disse: 'Sua mãe está sozinha e eu vou matá-la se contar a ela", relatou

Cantora Gloria Estefan
Cantora Gloria Estefan 09/04/2019REUTERS/Simon Dawson

Marysabel Huston-Crespoda CNN*

Ouvir notícia

A cantora Gloria Estefan revelou que foi abusada sexualmente aos 9 anos por um familiar. A declaração chocante foi feita no nono episódio de sua série “Red Table Talks: The Estefans” no Facebook Watch.

No episódio “Betrayed By Trusted Adults” (Traída por adultos de confiança, em português), de cerca de 20 minutos de duração, Estefan revela, que o suposto agressor — a quem ela não identifica pelo nome — era uma pessoa próxima de sua família.

“Você esperou por este momento por muito tempo”, disse sua sobrinha, a apresentadora de televisão Lili Estefan segurando as lágrimas, antes de a cantora dar seu testemunho.

Gloria Estefan: Ele era alguém de confiança

Segundo relato da cantora, ela tinha 9 anos quando aconteceu e o suposto agressor era alguém em quem a mãe dela confiava.

“Minha mãe me matriculou em sua escola de música e ele imediatamente começou a me dizer como ela era talentosa, e ele precisava de atenção especial”, disse Estefan.

Segundo Estefan, ela sabia, mesmo sendo uma criança, que era uma situação imprópria. Ela contou que chegou a falar para o suposto agressor que isso não poderia acontecer.

“Eu sabia que estava em uma situação perigosa e quando me levantei e disse a ele ‘isso não pode acontecer, você não pode fazer isso’, ele me disse: ‘Seu pai está no Vietnã, sua mãe está sozinha e eu vou matá-la se contar a ela”.

Ela relatou que a resposta do suposto agressor a assustou e que sabia que “ele era louco”.

“Isso me assustou. Eu sabia que ele era louco, mas em nenhum momento pensei que isso estava acontecendo por minha causa. Eu sabia que o homem era louco e é por isso que pensei que ele poderia realmente machucar minha mãe”, disse Gloria Estefan.

Mãe não sabia o que está acontecendo

A cantora disse que sua mãe não tinha ideia do que estava acontecendo. Ela acrescentou que [violência sexual] não era algo que estava sendo discutido na época. No entanto, ela disse que durante uma crise de ansiedade falou sobre a situação com a mãe.

“Meu cabelo começou a cair de ansiedade. Finalmente, uma manhã, às 3 da manhã, corri para o quarto da minha mãe, não aguentei mais e contei a ela”, diz ela.

A mãe chegou a chamar a polícia, segundo ela. Mas as autoridades, segundo a cantora, aconselharam sua mãe a não apresentar queixa contra o homem porque “o trauma ia piorar na hora do julgamento”.

Testemunho em videocassete

Além da história de Gloria Estefan, o episódio inclui uma série de gravações caseiras de áudio nas quais Gloria, aos 9 anos, contou ao pai, José Fajardo, que estava no Vietnã, como estava se saindo na escola.

Na troca de mensagens em fitas cassetes, entre Glória e o pai, Estefan pede desculpas, como se estivesse doente, para não ir à aula.

Gloria Estefan, 9 anos: “Estou tendo aulas de violão. Gosto mas os estudos são um pouco difíceis”.

Pai de Gloria Estefan: “Quando ele me disse que o dono da escola onde você está aprendendo violão tem muito orgulho de você”.

Gloria Estefan, 9 anos: “Gosto das notas, mas é meio chato estudá-las”.

Pai de Gloria Estefan: “Mamãe me disse que seu professor afirmou que você é artista de nascença.”

A CNN Internacional contatou os representantes de Gloria Estefan, através de sua gravadora, para comentários adicionais sobre essas declarações e para saber se o suposto agressor ainda está vivo. Porém, não obtemos resposta até a publicação deste texto.

Abuso sexual infantil

De acordo com o Unicef, pelo menos 120 milhões de meninas com menos de 20 anos sofreram algum tipo de abuso sexual.

“Cerca de 1 em cada 10 foi forçada a ter relações sexuais ou outros atos sexuais, embora o número real provavelmente seja muito maior. Cerca de 90% das adolescentes que relatam ter feito sexo forçado dizem que o primeiro agressor foi alguém que conheciam, geralmente um namorado ou marido”, disse a Unicef em seu site.

Segundo a agência, muitas vítimas de violência sexual nunca revelam o que aconteceu.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças, o CDC, indica que uma em cada oito mulheres é estuprada antes dos 10 anos.

“Red Table Talk: The Estefans” direciona os telespectadores que sofreram violência sexual para RAINN (Rede Nacional de Estupro, Abuso e Incesto). A organização é citada em seu site como a maior rede dos Estados Unidos contra a violência sexual.

Nos Estados Unidos, você pode buscar ajuda ligando para 1-800-656-HOPE ou online em online.rainn.org e rainn.org/es.

No Brasil, o Disque 100 e o Ligue 180 são serviços gratuitos para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Também é possível acionar a Polícia Militar pelo 190.

(*Esse texto foi traduzido. Clique aqui para ler o original em espanhol)

Mais Recentes da CNN