Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo Biden determina formalmente genocídio cometido por militares de Mianmar

    Secretário de Estado dos EUA anunciará determinação no Museu Memorial do Holocausto dos EUA em Washington, DC, na segunda-feira

    Museu Memorial do Holocausto dos EUA em Washington, DC
    Museu Memorial do Holocausto dos EUA em Washington, DC Reprodução/US Holocaust Memoral Museum

    Jennifer Hanslerda CNN

    O governo Biden determinou formalmente que os militares de Mianmar cometeram genocídio e crimes contra a humanidade contra os rohingyas, disse um funcionário dos EUA à CNN neste domingo (20).

    O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, anunciará publicamente a determinação que grupos de direitos humanos vêm defendendo há anos, no Museu Memorial do Holocausto dos EUA em Washington, DC, na segunda-feira.

    A Reuters informou pela primeira vez sobre o reconhecimento do genocídio pelo governo.

    Até agora, os EUA não chegaram a declarar genocídio às atrocidades – incluindo assassinatos em massa e estupros – cometidas em 2017 contra a minoria muçulmana Rohingya. A violência forçou quase um milhão de pessoas a fugir, e as Nações Unidas recomendaram que altos oficiais militares enfrentem acusações de genocídio.

    Um relatório do Departamento de Estado dos EUA divulgado discretamente em 2018 descobriu que a violência contra os rohingyas no estado de Rakhine, no norte de Mianmar, era “extrema, em larga escala, generalizada e aparentemente voltada para aterrorizar a população e expulsar os moradores rohingyas”.

    O Departamento de Estado sancionou vários oficiais militares de Mianmar, incluindo o comandante em chefe Min Aung Hlaing, por seu papel em cometer esses abusos de direitos humanos.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original