Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo Boris Johnson sofre novo abalo com renúncia de dois ministros

    Rishi Sunak, ministro das Finanças, e Sajid Javid, ministro da Saúde, confirmaram que deixarão o governo

    Ivana Kottasováda CNN

    Ouvir notícia

    O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, sofreu um grande golpe nesta terça-feira com a renúncia de dois de seus principais ministros, que disseram que não poderiam mais trabalhar para um governo atolado em escândalos.

    Os ministros das Finanças, Rishi Sunak, e da Saúde, Sajid Javidk, anunciaram que estavam se demitindo em cartas postadas no Twitter com poucos minutos de diferença na noite de terça-feira (horário do Reino Unido).

    A controvérsia mais imediata enfrentada por Johnson é a maneira como Downing Street lidou com a renúncia do vice-chefe Chris Pincher, que deixou o cargo na quinta-feira passada (30) em meio a alegações de que ele havia apalpado dois convidados em um jantar privado na noite anterior. Embora não tenha admitido as alegações diretamente, Pincher disse, em uma carta a Johnson, que “na noite passada bebi demais” e “envergonhei a mim e a outras pessoas”.

    “O público espera, com razão, que o governo seja conduzido de forma adequada, competente e séria”, disse Sunak em sua carta de demissão. “Reconheço que este pode ser meu último cargo ministerial, mas acredito que vale a pena lutar por esses padrões e é por isso que estou me demitindo.”

    “Em preparação para nosso discurso conjunto proposto sobre a economia na próxima semana, ficou claro para mim que nossas abordagens são fundamentalmente muito diferentes”, acrescentou Sunak na carta. “Estou triste por deixar o governo, mas relutantemente cheguei à conclusão de que não podemos continuar assim.”

    Javid escreveu que “foi um enorme privilégio servir neste papel, mas lamento não poder mais continuar em sã consciência”. Javid acrescentou que o voto de confiança do Partido Conservador no primeiro-ministro no mês passado “foi um momento de humildade, garra e nova direção”.

    “Lamento dizer, no entanto, que está claro para mim que esta situação não mudará sob sua liderança – e, portanto, você também perdeu minha confiança”, escreveu Javid.

    Downing Street tem se esforçado para explicar por que Pincher estava no governo, em meio a uma onda de revelações sobre sua suposta conduta anterior.

    Quando esses relatórios surgiram, Downing Street inicialmente negou que o primeiro-ministro soubesse algo específico sobre eles. Então, a equipe de Johnson disse que ele sabia das alegações, mas que elas haviam sido “resolvidas”. Quando surgiu que uma das histórias não relatadas anteriormente contra Pincher havia sido confirmada, o porta-voz de Johnson explicou que “resolvido” poderia significar que havia sido confirmado.

    Então, na manhã de terça-feira, Simon McDonald, ex-funcionário público do Ministério das Relações Exteriores, revelou que Johnson havia sido informado pessoalmente sobre o resultado de uma investigação sobre a conduta de Pincher.

    Minutos antes de Sunak e Javid anunciarem suas renúncias, Johnson reconheceu que “foi um erro” nomear Pincher para seu governo.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN