Guarda Costeira dos EUA busca 38 desaparecidos em naufrágio na Flórida

Agência suspeita que o incidente seja uma tentativa de contrabando de pessoas que deu errado

Brian EllsworthSteve Gormanda Reuters

Ouvir notícia

Equipes de resgate continuam as buscas por 38 pessoas dadas como desaparecidas na costa da Flórida (EUA), por um homem encontrado agarrado a um barco que naufragou. A Guarda Costeira americana suspeita que o incidente seja uma tentativa de contrabando de pessoas que deu errado.

Inicialmente, o número de desaparecidos estava em 39. No entanto, um corpo foi encontrado pelas autoridades.

O sobrevivente disse às autoridades que havia deixado as ilhas Bimini, nas Bahamas, cerca de 80 km a leste de Miami, em um barco com outras 39 pessoas na noite de sábado (22), informou a Guarda Costeira em comunicado à imprena.

De acordo com o sobrevivente, o navio do grupo virou na manhã de domingo (23) devido ao mau tempo na costa atlântica da Flórida, a meio caminho entre Miami e Cabo Canaveral, mas ninguém estava com um colete salva-vidas.

 

Um bom samaritano encontrou o homem no casco quase submerso do barco na terça-feira (25) de manhã e o resgatou antes de alertar a Guarda Costeira, que despachou embarcações e aeronaves de resgate para procurar mais vítimas.

O sobrevivente foi levado ao hospital para tratamento de desidratação e exposição ao sol.

Lanchas da Guarda Costeira, equipes de helicópteros e aviões de busca da Marinha dos EUA cruzaram uma área de mais de 3.367 quilômetros quadrados em suas buscas, disse o comunicado.

O incidente está sob investigação como “um empreendimento suspeito de contrabando humano”. No entanto, as nacionalidades daqueles que estavam a bordo do navio ainda não foram determinadas, disse um porta-voz da Guarda Costeira, o suboficial José Hernandez.

Na semana passada, outra tentativa malfadada de travessia de migrantes terminou com 32 pessoas resgatadas de um navio virado, a oeste de Bimini, que se tornou um ponto de trânsito frequente para contrabandistas marítimos, disse Hernandez.

Incidentes de navios tombados ou interditados lotados de pessoas, muitas delas haitianas ou cubanas que buscam chegar aos Estados Unidos, não são incomuns nas águas da Flórida.

Pelo menos 557 migrantes cubanos foram detidos no mar pela Guarda Costeira desde outubro, além de quase 7.400 cubanos interditados nos cinco anos anteriores, segundo a agência.

As travessias de navios de migrantes haitianos também se tornaram mais frequentes à medida que a nação insular do Caribe lida com crises econômicas e políticas, bem como sequestros relacionados a gangues. A Guarda Costeira disse ter interceptado pelo menos 159 cidadãos haitianos neste ano fiscal.

Mais Recentes da CNN