Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Guerra completa 11 meses com sequência de erros da Rússia, avalia professor

    À CNN Rádio, Vitélio Brustolin afirmou que russos cometeram erros políticos, estratégicos, táticos e logísticos

    Amanda Garciada CNN

    A Guerra na Ucrânia completa 11 meses nesta terça-feira (24) sem perspectiva de término, na avaliação do professor de Relações Internacionais da UFF Vitélio Brustolin.

    Em entrevista à CNN Rádio, o especialista afirmou que a Rússia cometeu “muitos erros” ao longo desses meses.

    Ele explica que, embora o presidente Vladimir Putin tenha calculado que sofreria sanções e condenações pelo resto do mundo, ele esperava “dominar rapidamente a Ucrânia.”

    Não foi o que aconteceu, e acumularam-se “problemas logísticos, como falta de provisões para tropas; táticos, como formação de colunas em estradas; políticos e estratégicos.”

    Ao mesmo tempo, os russos terão de lidar com questões econômicas importantes, já que terão “mais dificuldades de encontrar consumidores para suas commodities do que a Europa teve para substituí-los como fornecedores.”

    Outra questão importante é o fornecimento de gás russo à Europa.

    Vitélio explica que Putin “vinha ameaçando a Europa com o inverno, com o corte de abastecimento de gás.”

    No entanto, o inverno foi menos rigoroso do que o previsto, enquanto a Europa manteve os reservatórios cheios.

    “A Rússia, ao usar a energia como instrumento de pressão na guerra acabou se auto prejudicando e a Europa parou de comprar gás russo e encontrou novos fornecedores”, disse.

    O professor acredita que “estamos distantes do término da guerra”, com um cenário que não é positivo mesmo que o conflito tenha uma reviravolta e se encerre.

    “Se não terminar em negociação que ambas as partes considerem favorável, é possível que desemboque uma guerra maior mais para frente”, completou.

    *Com produção de Alessandra Ferreira