Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Irã acusa Israel de buscar “genocídio” ao impor um cerco à Faixa de Gaza

    Declração foi dada enquanto enviado iraniano iniciava uma viagem regional para discutir o conflito entre o Hamas

    Prédios destruídos na Faixa de Gaza
    Prédios destruídos na Faixa de Gaza Ahmad Hasaballah/Getty Images

    Por Parisa Hafezi, da Reuters

    O principal enviado do Irã acusou Israel de buscar um “genocídio” ao impor um cerco à Faixa de Gaza, informou a TV estatal iraniana nesta quinta-feira (12), enquanto iniciava uma viagem regional para discutir o conflito entre o Hamas, aliado palestino de Teerã, e Israel.

    Israel disse que não haveria nenhuma trégua humanitária no cerco à Faixa de Gaza, lançado após os ataques devastadores dos militantes do Hamas contra Israel no sábado, até que todos os israelenses feitos reféns naquele dia fossem libertados.

    A Cruz Vermelha apelou para que houvesse autorização para a entrada de combustível em Gaza para evitar que hospitais sobrecarregados “se transformassem em necrotérios”.

    Antes de deixar Teerã para o Iraque, a primeira etapa de sua viagem que inclui o Líbano e a Síria, Hossein Amirabdollahian disse: “A guerra… na Faixa de Gaza não é apenas a guerra dos sionistas contra um grupo, é uma guerra contra todos os palestinos”.

    “Hoje, a continuação dos crimes de guerra perpetrados pelo (primeiro-ministro israelense Benjamin) Netanyahu e pelos sionistas contra os civis em Gaza, sitiando, cortando água e eletricidade e negando a entrada de medicamentos e alimentos, criou condições onde os sionistas procuram um genocídio de todas as pessoas em Gaza”, disse ele.

    O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, e o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed Bin Salman, discutiram o conflito israelo-palestiniano num telefonema, o primeiro contato entre os dois líderes desde a retomada dos laços entre Teerã e Riad após um acordo mediado pela China em março.

    Veja também: Polícia de Israel divulga vídeo de libertação de reféns do Hamas