Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Israel avança com assentamentos na Cisjordânia

    Milhares de novas unidades estão nos estágios finals de aprovação

    Assentamentos israelenses na Cisjordânia
    Assentamentos israelenses na Cisjordânia REUTERS

    Lauren IzsoKareem Khadderda CNN

    Israel avançará com mais de 3.400 novas unidades habitacionais em três assentamentos na Cisjordânia para os estágios finais de aprovação, inclusive em Ma’ale Adumim, perto do local de um recente ataque a tiros que matou um israelense.

    Além de Ma’ale Adumim, próximo à Jerusalém, novas unidades em Efrat e Keidar também avançarão para aprovação final, de acordo com uma decisão publicada no site da Administração Civil de Israel, órgão responsável pelos assentamentos israelenses na Área C da Cisjordânia.

    O ministro das Finanças de extrema direita, Bezalel Smotrich, comemorou a decisão no X, antigo Twitter, escrevendo: “Continuamos a construir o país! 18.515 aprovações este ano na Judéia e Samaria”, que são os nomes bíblicos para a Cisjordânia. Smotrich também é ministro do Ministério da Defesa responsável pelos assentamentos na Cisjordânia e chefia o comitê responsável pela aprovação de novas unidades.

    Após o ataque a tiros em fevereiro, que matou um israelense e feriu oito durante o trânsito na hora do rush em uma rodovia nos arredores de Jerusalém, Smotrich pediu que Israel respondesse construindo mais assentamentos.

    O Ministério das Relações Exteriores da Autoridade Palestina condenou veementemente o avanço de unidades de assentamentos de Israel, chamando-o de “continuação do ciclo de violência”, em comunicado divulgado na quarta-feira (6). O ministério também o chamou de “inválido, ilegítimo e ilegal de acordo com o direito internacional e as resoluções de legitimidade internacional”.

    Relembre

    A violência dos colonos na Cisjordânia ocupada aumentou significativamente desde o início da guerra. Os colonos passaram a queimar carros, a destruir infra-estruturas e a atacar e matar palestinos.

    No mês passado, o Departamento de Estado dos EUA anunciou a primeira ronda de sanções contra colonos israelenses acusados ​​de atos de violência na Cisjordânia. As sanções bloqueiam os seus ativos financeiros e os impede de entrar nos EUA.

    As sanções marcam uma das medidas mais significativas que o presidente dos EUA, Joe Biden, tomou para criticar Israel desde o início da guerra Israel-Hamas, em 7 de outubro.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original