Israel mata comandante palestino após disparos de foguete da Faixa de Gaza

Hussam Abu Harbeed, comandante da Jihad Islâmica no norte de Gaza, foi morto em ataques aéreos intensos; número de vítimas no conflito passa de 200

Bombeiros palestinos apagam chamas de fábrica atingida por míssil de Israel
Bombeiros palestinos apagam chamas de fábrica atingida por míssil de Israel Foto: Ashraf Abu Amrah - 17.mai.2021/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

Israel matou um comandante militante palestino veterano durante ataques aéreos intensos contra a Faixa de Gaza nesta segunda-feira (17), e grupos islâmicos retomaram os ataques com foguetes contra cidades israelenses, apesar dos apelos internacionais crescentes por um cessar-fogo.

Com as hostilidades mais violentas na região em anos em sua segunda semana, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, pediu a todos os lados que protegessem civis. Mediadores de Washington, Egito e da Organização das Nações Unidas (ONU) intensificaram os esforços para encerrar o conflito.

Autoridades de saúde de Gaza elevaram o número de palestinos mortos desde o início das hostilidades na semana passada para 201, incluindo 58 crianças e 34 mulheres. Dez pessoas foram mortas em Israel, incluindo duas crianças.

A polícia disse que um homem israelense também morreu em um hospital nesta segunda, depois de ser atacado na semana passada por manifestantes árabes quando os confrontos eclodiram em comunidades mistas de judeus e árabes em Israel – uma nova frente de violência que foi desencadeada pelos combates em Gaza.

A morte de Hussam Abu Harbeed, comandante armado da Jihad Islâmica no norte de Gaza, provavelmente causará uma resposta feroz do grupo militante que está lutando ao lado do Hamas, o movimento islâmico que governa o enclave costeiro.

O exército israelense disse em um comunicado que Harbeed esteve “por trás de vários ataques terroristas de mísseis antitanque contra civis israelenses. Harbeed foi comandante da Jihad Islâmica por 15 anos, disseram os militares.

Grupos militantes em Gaza também não deram nenhum sinal do fim dos combates. Logo após a morte de Harbeed, a Jihad Islâmica disparou foguetes na cidade costeira israelense de Ashdod e médicos disseram que sete pessoas ficaram feridas.

Pelo menos sete palestinos foram mortos em ataques israelenses em Gaza nesta segunda-feira (17), incluindo dois que morreram em um ataque com míssil a um prédio de escritórios de sete andares em Gaza, disseram médicos. A intensidade dos ataques israelenses tende a aumentar após o anoitecer.

“Meus filhos não conseguiram dormir a noite toda, mesmo depois que a onda de bombardeios intensos parou”, disse Umm Naeem, de 50 anos, mãe de cinco filhos, enquanto comprava pão na Cidade de Gaza.

Apelo internacional

Nomeado na semana passada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o enviado Hady Amr se encontrou com autoridades palestinas em Ramallah, na Cisjordânia, nesta segunda-feira (17), e Blinken disse que autoridades dos EUA estão “trabalhando sem parar” para encerrar o conflito.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, por telefone, nesta segunda, que espera um rápido fim aos combates entre israelenses e palestinos, informou um porta-voz do governo alemão.

Mais Recentes da CNN