Itamaraty confirma a morte de brasileiro em conflito na Ucrânia

Órgão continua a desaconselhar viagens ao país, diz comunicado

Da CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O Ministério das Relações Exteriores recebeu, por meio da Embaixada do Brasil em Kiev, capital da Ucrânia, confirmação da morte de um brasileiro em território ucraniano na guerra com a Rússia. O órgão mantém contato com familiares para prestar assistência. André Hack Bahi era de Eldorado do Sul (RS), tinha 44 anos e deixa cinco filhos.

“Assim como tem feito desde o começo do conflito, o Itamaraty continua a desaconselhar enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país”, diz o comunicado do Itamaraty.

Tatiane Hack Bahi, irmã de André, disse à CNN que a morte foi confirmada pela Embaixada ucraniana nesta quinta-feira.

“Até agora somente a Embaixada da Ucrânia entrou em contato conosco. O Itamaraty não nos procurou até agora. Minha sobrinha mandou três e-mails para o Itamatay e nada de resposta”, afirmou Tatiane.

A CNN está fazendo contato com o Itamaraty para saber um posicionamento sobre a afirmação feita pela irmã da vítima da guerra na Ucrânia.

André nasceu em Porto Alegre, mas foi criado em Eldorado do Sul. Ele deixou o Ceará, onde morava com a atual mulher, com o desejo “de ajudar quem estava precisando, no caso o povo da Ucrânia”.

Ele atuou na Legião Francesa por cinco anos, de onde era sargento. Segundo a irmã, André era formado em enfermagem.

“Ele viu a situação do conflito entre Rússia e Ucrânia e decidiu lutar junto ao povo ucraniano”, disse Tatiane.

Em março o ministro de Relações Exteriores, Carlos França, enviou cinco embaixadas com novas tarefas para auxiliar os brasileiros que estavam na Ucrânia ou que conseguiram deixar o país.

De acordo com o ministro, isso foi feito “diante do agravamento da situação”. O conflito entre a Rússia e Ucrânia começou em 24 de fevereiro.

Desdeo início do conflito mais de sete milhões de pessoas cruzaram a fronteira da do país invadido por forças russas, segundo a Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).

O número de refugiados individuais da Ucrânia registrados em toda a Europa foi de 4.712.076. O documento diz ainda que a Polônia, Rússia e Moldova são os países que mais receberam ucranianos.

(Publicado por Carolina Farias)

Mais Recentes da CNN