Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jornalista perde quatro filhos e três irmãos durante explosão em campo de refugiados em Gaza

    Muhammed Alaloul, fotojornalista freelancer da agência de notícias turca Anadolu, afirmou que a sua casa foi destruída num ataque aéreo que teve como alvo o campo de Al-Maghazi

    Alaloul, fotojornalista freelancer da agência de notícias turca Anadolu, afirmou que a sua casa foi destruída num ataque aéreo israelense que teve como alvo o campo de refugiados de Al-Maghazi
    Alaloul, fotojornalista freelancer da agência de notícias turca Anadolu, afirmou que a sua casa foi destruída num ataque aéreo israelense que teve como alvo o campo de refugiados de Al-Maghazi 02/11/2023 REUTERS/Anas Al-Shareef

    Kareem KhadderEyad Kourdida CNN

    O jornalista Muhammed Alaloul perdeu quatro filhos e três irmãos na explosão num campo de refugiados no centro de Gaza na noite de sábado (4), disse Aloul à CNN neste domingo (5).

    Alaloul, fotojornalista freelancer da agência de notícias turca Anadolu, afirmou que a sua casa foi destruída num ataque aéreo israelense que teve como alvo o campo de refugiados de Al-Maghazi.

    Funcionários de hospitais em Gaza também atribuíram a explosão a um ataque aéreo israelense.

    As Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram à CNN que estão investigando as circunstâncias da explosão.

    Imagens do local mostram uma destruição extensa, com muitos edifícios danificados ou destruídos.

    “Eu vi meu filho, Kenan; minha filha, Rahaf; Eu vi Ahmad, meu filho, e Qais, meu filho. Vi meus três irmãos serem martirizados; vi amigos que estavam em minha casa sendo martirizados”, disse Alaloul.

    Posteriormente, ele voltou para onde ficava sua casa.

    “Minha casa ficou completamente destruída. Estava cheia de crianças e agora ainda há pessoas presas nos escombros em uma área que não conseguimos alcançar”, contou.

    Alaloul declarou ainda que sua esposa, mãe, pai e outra criança ficaram feridos. Sua esposa ficou gravemente ferida e foi internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

    A explosão ceifou 52 vidas, segundo Mohammad Al Hajj, diretor de comunicações do Hospital Al-Aqsa.

    Veja também – Ataque a campo de refugiados deixa dezenas de mortos em Gaza

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original