Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kamala Harris poderia derrotar Donald Trump nas eleições nos EUA?

    Joe Biden tem enfrentado pressão para desistir da disputa desde seu fraco desempenho no debate da CNN

    A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, e o ex-presidente Donald Trump
    A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, e o ex-presidente Donald Trump Fotos: Getty Images e Reuters

    Nandita BoseJeff MasonBianca Flowersda Reuters

    Ela preocupa os doadores republicanos, tem o nome reconhecido, e nomes fortes ​​do Partido Democrata estão começando a alinhar-se atrás dela.

    A vice-presidente Kamala Harris seria a sucessora natural do presidente Joe Biden se ele cedesse à pressão crescente e se afastasse como candidato democrata nas eleições de 2024, dizem os principais democratas.

    Agora, os doadores do partido, ativistas e autoridades perguntam: ela tem melhores chances do que Biden de derrotar Donald Trump? Biden disse repetidamente que permanecerá na corrida.

    Harris, de 59 anos, ex-senadora dos Estados Unidos e procuradora-geral da Califórnia, seria a primeira mulher a ser presidente dos EUA se vencesse as eleições de 5 de novembro. Ela é a primeira pessoa afro-americana e asiática a servir como vice-presidente.

    O seu mandato de três anos e meio na Casa Branca foi caracterizado por um início medíocre, rotatividade de pessoal e portfólios de políticas iniciais, incluindo a migração da América Central, que não produziram grandes sucessos.

    Ainda no ano passado, muitos dentro da Casa Branca e da equipe de campanha de Biden temiam que Harris fosse um risco para a campanha. A situação mudou significativamente desde então, disseram autoridades democratas, à medida que ela avança nas discussões sobre o direito ao aborto e tenta conquistar os eleitores jovens.

    Ela “está orgulhosa de ser sua companheira de chapa e espera servir ao seu lado por mais quatro anos”, disse a campanha Biden-Harris à Reuters.

    Algumas pesquisas favorecem Harris

    Pesquisas recentes sugerem que Harris poderia se sair melhor do que Biden contra Trump, o candidato republicano, embora ela enfrentasse uma disputa acirrada.

    Uma pesquisa da CNN divulgada em 2 de julho revelou que os eleitores preferem Trump em vez de Biden por seis pontos percentuais, ou 49% a 43%. Harris também ficou atrás de Trump, 47% a 45%, dentro da margem de erro.

    A pesquisa também descobriu que os independentes preferem Harris do que Trump (43%-40%), e os eleitores moderados de ambos os partidos também (51-39%).

    Uma pesquisa Reuters/Ipsos após o debate televisionado da semana passada entre Trump e Biden revelou que Harris e Trump estavam quase empatados, com 42% apoiando a democrata e 43% apoiando o republicano.

    Apenas a ex-primeira-dama Michelle Obama, que nunca manifestou qualquer interesse em aderir à corrida, teve uma pontuação mais elevada entre as possíveis alternativas a Biden.

    Pesquisas internas compartilhadas pela campanha de Biden após o debate mostram Harris com as mesmas chances de Biden de derrotar Trump, com 45% dos eleitores dizendo que votariam nela contra 48% em Trump.

    Democratas influentes, incluindo o representante dos EUA Jim Clyburn, que foi fundamental para a vitória de Biden em 2020; o deputado Gregory Meeks, congressista de Nova York e membro sênior do Congressional Black Caucus; e Summer Lee, uma democrata da Câmara da Pensilvânia, sinalizaram que Harris seria a melhor opção para liderar a chapa se Biden decidir se afastar.

    O líder da minoria na Câmara, Hakeem Jeffries, também sinalizou privadamente o mesmo aos legisladores, disse um assessor do Congresso.

    Harris é levada tão a sério que dois doadores republicanos disseram à Reuters que prefeririam que Trump enfrentasse Biden do que ela.

    “Eu preferiria que Biden permanecesse no cargo”, em vez de ser substituído por Harris, disse Pauline Lee, uma arrecadadora de fundos para Trump em Nevada após o debate de 27 de junho, que disse achar que Biden provou ser “incompetente”.

    E alguns em Wall Street, um importante centro democrata de angariação de fundos, estão começando a indicar uma preferência.

    “Biden já está atrás de Trump e é improvável que seja capaz de superar essa lacuna, dada a situação atual de sua campanha. Ter a vice-presidente Harris provavelmente aumenta as chances dos democratas de conquistarem a Casa Branca”, disse Sonu Varghese, macroestrategista global do Carson Group, uma empresa de serviços financeiros, após o debate. “Há potencialmente mais vantagens para as chances dela do que as de Biden neste momento.”

    A maioria dos americanos vê Harris de uma forma negativa, assim como os dois candidatos à presidência.

    O órgão de votação Five Thirty Eight disse que 37,1% dos eleitores aprovam Harris e 49,6% desaprovam. Esses números se comparam a 36,9% e 57,1% para Biden, e 38,6% e 53,6% para Trump.