Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kherson não tem mais resistência armada contra forças da Rússia, diz prefeito

    Ihor Kolykhaiev, prefeito da cidade ucraniana, disse à CNN que já não tem mais exército na cidade contra as forças russas

    Jennifer Deatonda CNN*

    O prefeito da cidade ucraniana Kherson, Ihor Kolykhaiev, disse à CNN que “não tem mais armas para resistir” às forças russas que cercaram a região.

    “O povo de Kherson está desarmado. Não temos mais armas para resistir, para resistir armada”, disse a John Berman, da CNN.

    “Não temos exército na cidade. O exército foi derrotado. O exército ucraniano teve que recuar, então não há armas. Eles recuaram em direção a Nikolaev”, continuou ele.

    Kolykhaiev disse que as tropas russas permanecerão no controle de Kherson, a menos que e “até que o exército ucraniano possa avançar sobre Kherson”, acrescentando que as forças russas “estão bem estabelecidas aqui”. “As tropas russas estão por toda parte”, afirma.

    O prefeito disse a Berman que a vida continua, mas todos os serviços da cidade estão inoperantes.

    “Os serviços normais pararam porque os serviços normais não têm como funcionar”, disse ele.

    Ele também fez um apelo por assistência humanitária, dizendo que “a produção, a infraestrutura essencial foi suspensa. A cidade está sem energia e sem água.”

    Kolykhaiev falou ainda que não há como levar ajuda para a cidade porque a única maneira de obter ajuda é via Crimeia, do lado russo.

    “Então, os russos querem enviar ajuda humanitária, mas o povo de Kherson está recusando. Porque eles são patriotas e não querem ajuda dos russos. Eles querem ajuda dos ucranianos. Portanto, não estamos recebendo ajuda humanitária no momento”, apontou.

    “Temos muitas pessoas aqui precisando”, disse. “Temos pacientes com câncer, crianças que precisam de medicação. Este medicamento não está chegando a eles no momento.”

    Kherson é uma cidade estrategicamente importante em uma enseada do Mar Negro com uma população de quase 300.000 habitantes.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original