Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kremlin: enviar forças de paz da Otan para a Ucrânia seria extremamente perigoso

    Porta-voz do governo russo prevê "consequências difíceis de reparar" caso haja contato entre tropas

    Otan realiza sobrevoo em países membros da organização (05.jun.2021)
    Otan realiza sobrevoo em países membros da organização (05.jun.2021) Foto: Reprodução/CNN

    Lindsay Isaacda CNN

    O envio de uma missão de paz da Otan para a Ucrânia seria “muito imprudente” e “extremamente perigoso”, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a jornalistas na quarta-feira (23). “Qualquer possível contato entre nossos militares e militares da Otan pode levar a consequências difíceis de reparar”, completou.

    Na sexta-feira (18), o vice-primeiro-ministro da Polônia, Jaroslaw Kaczynski, pediu que uma missão internacional de paz fosse enviada à Ucrânia após se reunir com os líderes de Eslovênia, República Tcheca e Ucrânia. Os poloneses planejam apresentar sua proposta para uma missão de paz na Ucrânia na cúpula da Otan em Bruxelas. na quinta-feira (24).

    O embaixador polonês nos Estados Unidos, Marek Magierowski, disse recentemente a Jake Tapper, da CNN, que a Otan precisa considerar “todas as possibilidades” na Ucrânia para enviar um “sinal muito claro ao Kremlin.”

    Magierowski disse que qualquer missão de paz ocorreria “sem envolver a Rússia em um confronto militar direto, porque essa não é a intenção”.

    Na terça-feira (23), Peskov falou com a jornalista da CNN Christiane Amanpour sobre os objetivos russos na Ucrânia: “são os mesmos desde o começo da operação: desmilitarizar e neutralizar a Ucrânia, se livrar de batalhões neonazistas e o reconhecimento dos territórios independentes.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original